• Radio Catedral

Quarto dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB

por Giovane Rezende*

A 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), segue sendo realizada, pela primeira vez na história, inteiramente de forma on-line. Nesta quinta-feira, 15, aconteceram as discussões e trabalhos pelo quarto dia.

Na manhã de quinta, os bispos participaram de um retiro pregado pelo arcebispo de Boston, nos Estados Unidos, cardeal Sean Patrick O’Malley. Foram duas meditações intercaladas com momentos de oração e partilha.

Cardeal O’Malley é da Ordem dos Frades Menores Capuchinos e, atualmente, é membro da Congregação para os Instituto de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica e do Pontifício Conselho para a Família. Desde o ano passado ele havia se disponibilizado para conduzir o retiro dos bispos do Brasil e, novamente este ano, manteve seu propósito.

Após o retiro, no bloco da tarde, os bispos tiveram a oportunidade de compartilhar os desafios enfrentados em suas localidades em tempos de pandemia. Um grupo de bispos conduziu o início das reflexões sobre os aspectos pastorais e pessoais diante da pandemia. Em seguida, os bispos continuaram a reflexão em grupos, por meio dos Regionais.

Papa à CNBB: promover a reconciliação do povo brasileiro

Solidariedade, caridade e unidade: estes são os conceitos apontados pelo Papa Francisco ao enviar uma videomensagem aos bispos que participam da 58a Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, pela primeira vez realizada de forma virtual.

No início da mensagem, o Pontífice não deixa de lado o bom humor, pedindo desculpa por falar em espanhol, bem sabendo que existe um idioma que brasileiros e argentinos dominam: o “portuñol”. Assumindo logo um tom mais sério, o Papa afirma que, através dos bispos, se dirige a todo o povo brasileiro, “num momento em que este amado país enfrenta uma das provas mais difíceis da sua história”.

“Gostaria, em primeiro lugar, de expressar minha proximidade às centenas de milhares de famílias que choram a perda de um ente querido. Jovens e idosos, pais e mães, médicos e voluntários, ministros sagrados, ricos e pobres: a pandemia não excluiu ninguém no seu rastro de sofrimento. Penso em especial nos bispos que morreram vítimas da Covid.”

O Pontífice pede a Deus que conceda o descanso eterno aos mortos e consolação aos familiares, que muitas vezes nem puderam se despedir. “E este ir-se sem poder se despedir, ir-se na solidão mais despojada é uma das maiores dores de quem vai e de quem fica.”

Mas nossa fé em Cristo ressuscitado nos mostra que podemos superar este trágico momento e aqui se apresenta a importância da solidariedade, “a chorar com os que choram”. “E a caridade nos impulsiona como bispos a nos despojar. Não tenham medo de se despojar. Cada um sabe do quê.” A pandemia só será superada com a união e a CNBB deve ser una neste momento, “porque o povo que sofre é um”.

O Papa recorda sua “inesquecível” visita ao Brasil em 2013 e do que disse a respeito da história de Nossa Senhora Aparecida. Por ter sido encontrada quebrada, poderia servir de símbolo da realidade brasileira: o que estava separado, recobra a unidade.

“E ser instrumento de reconciliação, ser instrumento de unidade: esta é a missão da Igreja no Brasil. Hoje mais do que nunca! E, para isto, é necessário deixar de lado as divisões e as desavenças. É necessário encontrarmo-nos no essencial. Com Cristo, por Cristo e em Cristo.”

Somente assim, prossegue o Papa, os bispos poderão inspirar os fiéis, outros cristãos e cidadãos, também em nível governamental, a trabalhar juntos para superar não só o coronavírus, mas também outro vírus: o vírus da indiferença, que nasce do egoísmo e gera injustiça social. Papa Francisco está consciente de que “o desafio é grande. Mas sabemos que o Senhor caminha conosco". “Sempre Jesus! Aqui está nossa base, nossa força, nossa unidade.”

O Papa conclui pedindo ao Senhor ressuscitado que esta Assembleia Geral dê frutos de unidade e reconciliação a todo o povo brasileiro e à CNBB. “Unidade não é uniformidade”, recordou, mas harmonia. “Imploro a Nossa Senhora Aparecida que ela, como Mãe, dê a todos os seus filos a graça de ser custódios do bem e da vida dos demais e promotores de fraternidade”, são as palavras finais de Papa Francisco, concedendo sua bênção apostólica.


Confira o vídeo do Papa Francisco:


Quarta Coletiva

A quarta Coletiva de Imprensa da 58ª Assembleia Geral da CNBB tratou da realidade pandêmica no Brasil e a trajetória da Ação Solidária Emergencial “É tempo de Cuidar”, que lança agora a segunda fase.

Participaram, o Bispo de Roraima (RR), segundo vice-presidente da CNBB e presidente da Cáritas Brasileira, Dom Mário Antônio da Silva; o Arcebispo de Manaus (AM), Dom Leonardo Steiner, e o Arcebispo de Florianópolis (SC), Dom Wilson Tadeu Jönk.

O bate-papo com a imprensa iniciou com a fala de Dom Leonardo, que fez um retrospecto do último ano de pandemia. O Arcebispo partilhou ações e citou situações difíceis neste tempo.

A Igreja teve de se fazer presente tomando atitudes e fazendo presença não só de modo celebrativo, mas na solidariedade, como conta Dom Leonardo.

Dom Wilson Tadeu relembrou que, no fim do ano, em Santa Catarina, o cenário pandêmico estava diminuindo, mas com a chegada da segunda onda, logo depois, a gravidade triplicou de tamanho, o que fez revelar a precariedade do sistema hospitalar.

Já Dom Mário trouxe detalhes sobre a ação nacional da CNBB e Cáritas Brasileira que teve início em 2020, no Domingo de Páscoa, com o objetivo de estimular a solidariedade, por meio da arrecadação de alimentos, produtos de higiene e limpeza. “É tempo de Cuidar”, agora chega em sua segunda fase, iniciada no Domingo da Misericórdia de 2021.

Para se ter uma ideia, o último balanço, apontou 823 ações registradas em 140 arquidioceses e dioceses brasileiras, com a marca de 5,9 milhões de quilos de alimentos doados. Em recursos financeiros, a campanha atingiu R$ 4.523.832,00. Em sua primeira fase, a campanha produziu e distribuiu para as populações mais vulneráveis cerca de 717 mil quentinhas, arrecadou e distribuiu 727.832 mil unidades de roupas e calçados, 411.580 kits de higiene e 414.114 mil equipamentos de proteção individual. Mais de 1,1 milhão de pessoas foram beneficiadas.


Confira a coletiva completa:


Quinto dia

Nesta sexta-feira, 16, é o último dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB e os bispos então caminham para as últimas discussões referentes a Igreja Católica no Brasil. O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, participa da Assembleia.


Toda a programação pode ser acompanhada pelas redes sociais da CNBB, no Facebook e pelo Youtube.


*Informações do Portal A12, Vatican News e do Site da CNBB


Confira o balanço do primeiro dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB


Confira o balanço do segundo dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB


Confira o balanço do terceiro dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB

0 comentário