• Radio Catedral

58ª Assembleia Geral da CNBB chega ao terceiro dia

por Giovane Rezende*

A 58ª Assembleia Geral da CNBB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, segue sendo realizada, pela primeira vez na história, inteiramente de forma on-line. Nesta quarta-feira, aconteceram as discussões e trabalhos pelo terceiro dia.


O caminho percorrido para a formulação do “Novo Estatuto da CNBB” foi o primeiro assunto a ser discutido pelo episcopado brasileiro neste terceiro dia da 58ª Assembleia Geral. A exposição do tema foi realizada pelo bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado. O atual Estatuto e Regimento da Conferência é do ano de 2002 e o seu processo de reforma foi iniciado no ano de 2017.

Em 2019 foi realizada uma alteração, com a inserção de mais um membro na presidência, o 2ª vice-presidente. Em 2020, por fim, iniciou-se o processo de elaboração para o que foi chamado de “Novo Estatuto”. Uma necessidade sentida pelo episcopado para dar respostas novas e encontrar novos modos de exercer a missão, com mais assertividade e eficiência. O caminho de formulação desse Novo Estatuto vai ser realizado em 7 etapas. A primeira delas, já realizada, foi a produção de um material de reflexão, elaborado por uma Comissão constituída.

Após um amplo processo de discussão prévio, e de ser apresentado duas vezes na plenária virtual durante o evento on-line, o texto “Animação Bíblica da Pastoral a partir das comunidades eclesiais missionárias” foi aprovado pelo episcopado brasileiro na tarde deste terceiro dia, 14 de abril. A última versão do texto, com a incorporação das sugestões, foi apresentada aos bispos pelo arcebispo de Curitiba (PR) e presidente da Comissão da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico Catequética da CNBB, dom José Antônio Peruzzo. Ele coordenou o grupo que elaborou o texto do tema central.

Também nesta quarta-feira, um dos temas apresentados no plenário da 58ª Assembleia Geral, foi o balanço da Ação Solidária Emergencial “É tempo de cuidar”, conduzido por bispo de Roraima e segundo vice-presidente da CNBB, dom Mário Antônio da Silva. A pandemia deixou 19 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar no ano passado, o que representa 9% da população do país, a maior taxa desde 2004, há 17 anos, quando essa parcela tinha alcançado 9,5%. E quase o dobro do que havia em 2018, quando o IBGE identificou 10 milhões e 300 mil brasileiros nessa situação.

Criada por iniciativa conjunta da CNBB, Caritas Brasileira e CRB, a Conferência dos Religiosos do Brasil, com o intuito de atenuar o impacto causado pela insegurança alimentar e pela fome entre a população brasileira, a Ação Solidária Emergencial apresentou números significativos em seu primeiro ano de existência. Com um alcance de mais de 1 milhão de pessoas beneficiadas, foram arrecadados em recursos financeiros mais de R$ 4,5 milhões e distribuídos cerca de 5,9 milhões de quilos de alimentos. O balanço aponta ainda que as populações em situação de vulnerabilidade receberam 713 mil refeições prontas, 675 mil peças de roupas e calçados, além de 405 mil kits de higiene pessoal e 409 mil equipamentos de proteção individual.

Outra discussão abordada durante este terceiro dia de Assembleia Geral da CNBB foi a ratificação da criação do regional Leste 3, composto pelas Igrejas Particulares do Estado do Espírito Santo, formada pela arquidiocese de Vitória e as dioceses de Cachoeiro do Itapemirim, Colatina e São Mateus. O resultado da consulta prévia apontou que 269 presentes no momento votaram e, destes, 251 bispos aprovaram a criação do 19º Regional da CNBB, 6 foram contrários e houve 12 abstenções.

Uma vez que o número atende a regra do Estatuto da CNBB que prevê, nesses casos, aprovação por maioria absoluta dos presentes, dom Joel Portella Amado conduziu a ratificação, que aconteceu por unanimidade, pelo método de aclamação. A proposta para criação do regional Leste 3 teve início em 2019 e foi pauta da reunião do Conselho Pastoral do regional Leste 2 e submetida e aprovada pelo Conselho Permanente da CNBB em 2020.


A terceira Coletiva de Imprensa da 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, realizada nesta quarta-feira, trouxe como temática o Pacto pela Vida e pelo Brasil e a Campanha da Fraternidade de 2022.

O bate-papo com os jornalistas contou com a participação do Arcebispo de Montes Claros, em Minas Gerais, e presidente da Comissão para a Cultura e Educação da CNBB, Dom João Justino de Medeiros Silva; o Bispo Auxiliar de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Dom Leomar Antônio Brustolin, e o Bispo de Lages, em Santa Catarina, e presidente do Grupo de Trabalho do Pacto pela Vida e pelo Brasil, Dom Guilherme Werlang.

Sobre a próxima Campanha da Fraternidade, Dom João Justino explicou que é preciso pensar a educação com a sua relação mais ampla da sociedade, a começar pela família, e sem dúvida, também com as instituições de ensino e a sociedade como o todo.

Segundo Dom João Justino, a intenção é promover um diálogo mais amplo sobre a realidade educativa no Brasil.

Dom Leomar falou da transversalidade da Campanha e lembrou problemas como, 20 milhões sem escola em 2020, então lembrou o Pacto Educativo Global, a Laudato Si, de 2015, e a menção do Papa Francisco sobre uma educação ineficaz, quando não se preocupa com um modelo que perpassa pelo ser humano, a vida, a fraternidade e a natureza.

Na coletiva, falando sobre o Pacto pela Vida e pelo Brasil, Dom Guilherme opinou que, infelizmente, nos últimos anos as políticas públicas estão sendo desmanteladas. Ele frisou que é impressionante como o Brasil havia saído do mapa mundial da pobreza, mas hoje a situação cresce assustadoramente. Isso motivou a criação e assinatura do Pacto.

O Pacto pela Vida e pelo Brasil foi lançado no dia 7 de abril e assinado por dezenas de entidades do país com a finalidade principal de motivar o conjunto da sociedade brasileira numa união de cidadãos, governos e poderes constituídos da República para formar uma ampla aliança e enfrentar a grave crise sanitária, econômica, social e política que vive o Brasil. Organizam esta iniciativa a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns, a Academia Brasileira de Ciência, a Associação Brasileira de Imprensa e a Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência.


Confira a coletiva completa:

Quarto dia


Nesta quinta-feira, 15, está acontecendo o quarto dia de trabalhos e discussões da 58ª Assembleia Geral da CNBB. O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, participa da Assembleia, que segue até a próxima sexta-feira, dia 16 de Abril.

Toda a programação pode ser acompanhada pelas redes sociais da CNBB, no Facebook e pelo Youtube. A celebração diária das 7h, que é transmitida, direto da capela Nossa Senhora Aparecida na sede da CNBB, em Brasília, pode ser acompanhada pelas principais TVs Católicas do país.


*Informações do Portal A12 e do Site da CNBB



Confira o balanço do primeiro dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB


Confira o balanço do segundo dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB


0 comentário