• Radio Catedral

Segundo dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB

por Giovane Rezende*

O episcopado brasileiro segue reunido na 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que neste ano, dadas as circunstâncias sanitárias atuais da pandemia de Covid-19, acontece on-line.

Os bispos aprovaram nesta terça-feira, 13, a mensagem destinada ao Papa Francisco. No texto, o episcopado brasileiro renova o apreço, o carinho e a fidelidade ao Santo Padre. Os Bispos informaram sobre as pautas em discussão na Assembleia, os assuntos importantes para o clero e o povo brasileiro, na Igreja e no Brasil. A íntegra da Mensagem pode ser conferida aqui.

Também no segundo dia de Assembleia, foi aprovado por unanimidade a realização do 3º Ano Vocacional da Igreja no Brasil, para 2023. Na ocasião vão ser comemorados os 40 anos do primeiro ano temático dedicado a reflexão, oração e promoção das vocações no país. O projeto de um novo Ano Vocacional no Brasil foi originado em 2019, durante o 4º Congresso Vocacional do Brasil.


Entre os principais tópicos discutidos na pauta deste segundo dia de Assembleia Geral da CNBB, ganhou destaque o FNS, o Fundo Nacional da Solidariedade. Na prestação de contas do montante arrecadado com a Coleta da Solidariedade, realizada durante a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021, o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro e Secretário Geral da CNBB, Dom Joel Portella Amado, salientou, ainda, que o valor vai sofrer alterações, visto que, em razão da pandemia, algumas igrejas particulares adiaram a data para a realização da coleta, que geralmente ocorre no Domingo de Ramos.

O desafio, que já é grande, em administrar esses recursos, torna-se ainda maior diante de uma campanha ecumênica. Para tal, foi criado um Conselho Gestor Especial. Dom Joel explicou ainda que, diante da situação gravíssima da pandemia, vai ser difícil destinar esses recursos somente para projetos ligados ao tema abordado na Campanha da Fraternidade Ecumênica: “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor”. Sendo assim, a CNBB vai submeter a esse Conselho uma proposta de três eixos para os projetos sociais amparados pelo FNS: insegurança alimentar, insumos para cuidados sanitários e geração de renda.

A CNBB apresentou também, no segundo dia de coletivas, a análise de conjuntura social, política, econômica e cultural. Segundo a CNBB, as análises são feitas a partir de um grupo de especialistas convocados pela Conferência. Eles produzem com rigor científico, a partir da visão de diferentes campos de conhecimento.

Outro assunto abordado foi a 6ª Semana Social Brasileira, uma iniciativa da CNBB, por meio da Comissão para a Ação Sociotransformadora, com o envolvimento ativo das pastorais sociais da Igreja Católica, dos movimentos populares do campo e da cidade, de organizações da sociedade civil, igrejas cristãs, povos indígenas e comunidades tradicionais.

Participaram do bate-papo com os jornalistas, o Bispo de Carolina, no Maranhão, e presidente da Comissão de Análise de Conjuntura Social, Dom Francisco Lima Soares; Dom José Valdeci Santos Mendes, Bispo de Brejo, no Maranhão, e presidente da Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora e Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira, Bispo de Itacoatiara, no Amazonas, membro da Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora.

Dom Francisco Lima Soares iniciou apontando a realidade complexa e difícil por conta da pandemia e ressaltou que a humanidade vem sofrendo e que a sobrevivência foi colocada à prova devido a atual conjuntura política, o aprofundamento da crise econômica, da fome e da miséria.

Sobre a 6ª Semana Social Brasileira, Dom Valdeci expôs as lutas e os eixos estruturais necessários, como, uma democracia participativa, onde o cidadão tem voz, vez e participação. Ele mostra que a iniciativa quer ser motivadora e articular igrejas e movimentos sociais.

Ainda sobre a pandemia de Covid-19, Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira lembra que o Brasil passa pelo maior colapso sanitário e hospitalar da história e, como Igreja, a Caridade é o verbo, é ação principal, ou seja, primeiro a solidariedade, mas agora também já é hora da indignação.

Confira a coletiva de imprensa completa:

Terceiro dia Nesta quarta-feira, 14, no terceiro dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB está previsto o início da segunda fase da ação emergencial É tempo de Cuidar, assim como um balanço dos trabalhos realizados. Também vai ser debatida hoje o projeto da criação do Regional Leste 3 da CNBB, além da Campanha da Fraternidade 2022, que vai continuar a ser discutida e traz como tema principal a educação. O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, participa da Assembleia, que segue até a próxima sexta-feira, dia 16 de Abril.

Toda a programação pode ser acompanhada pelas redes sociais da CNBB, no Facebook e pelo Youtube. A celebração diária das 7h, que é transmitida, direto da capela Nossa Senhora Aparecida na sede da CNBB, em Brasília, pode ser acompanhada pelas principais TVs Católicas do país.


*Informações do Portal A12


Confira o balanço do primeiro dia da 58ª Assembleia Geral da CNBB

0 comentário