top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Dengue: prevenção envolve cuidados com os espaços e com as pessoas

Mosquito Aedes aegypt pode transmitir além da Dengue, Chikungunya e Zicka. Alimentação e hidratação são grandes aliadas em casos de pessoas com dengue.


Por Fabíola Castro


Nesta época do ano, de calor e chuvas, é comum o aumento no número de casos de dengue. A doença é transmitida pelo conhecido mosquito Aedes aegypti, que além da dengue pode causar Chikungunya e Zicka.


Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2022 ocorreu, em relação ao ano anterior, um aumento de mais de 160% nos casos de dengue, sendo registrados cerca de mil óbitos. Os cuidados pessoais para se prevenir da doença são importantes, assim como os cuidados com os espaços em nossas casas para evitar que o mosquito se prolifere. E essas atitudes devem ser adotadas durante todo o ano e não apenas em épocas de maior transmissão como no verão.


Prevenir-se contra a doença é importante, mas, em caso de diagnóstico, é preciso redobrar a atenção. Profissionais da saúde falaram sobre esses cuidados no quadro "Bendita Saúde" desta quinta-feira, 16: a enfermeira e professora do IDOMED, Sandra Bonilha e a coordenadora do curso de Nutrição da Estácio, Patricia Rodrigues.


Confira:


Nesse período de aumento de casos de dengue e outras doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypt, a enfermeira Sandra Bonilha, explica quais cuidados as pessoas devem tomar.


Sandra Bonilha destaca ainda, quanto aos principais sintomas da dengue, o que as pessoas devem observar.


Se a pessoa estiver com esses sintomas e suspeita de dengue, a nutricionista Patricia Rodrigues, explica que tipos de alimentos se deve consumir para evitar o agravamento ao confirmar a doença.


Sendo assim, a alimentação também é importante aliada na recuperação em caso positivo de dengue, conforme explica a nutricionista Patricia Rodrigues.


A hidratação é sempre muito importante. A nutricionista Patricia Rodrigues reforça a sua necessidade em casos de pacientes com dengue.


Segundo os especialistas, fatores de risco individuais podem determinar a gravidade da dengue em cada pessoa, como a idade: crianças (em especial as menores de 1 ano) e idosos (acima de 65 anos) e gestantes. Doenças associadas, como asma, diabetes, anemia, hipertensão, entre outras, podem agravar os casos.


E os cuidados com a alimentação destacados pela nutricionista são muito importantes. Reforçando ainda que a melhor forma de prevenção da dengue e das outras doenças causadas pelo Aedes Aegypti é evitar a proliferação do mosquito, eliminando os prováveis criadouros como pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e recipientes pequenos, como tampas de garrafa, pratinhos de plantas, entre outros.


Algumas pessoas têm mais tendência de atrair e serem picados pelos mosquitos, pernilongos e o professor do curso de Medicina Veterinária da Estácio, Rodrigo Guerra, fala porque isso acontece.


Casos em Juiz de Fora


Quanto aos casos em Juiz de Fora, a Secretaria de Saúde informou que o município continua sendo o que possui o menor número de casos entre as dez maiores cidades de Minas Gerais. Conforme último boletim, são 58 confirmados e 101 prováveis de dengue e quatro prováveis de chikungunya. Números considerados baixos, tendo em conta o período chuvoso e médias históricas anteriores, conforme a pasta da saúde.


Combate às Arboviroses em JF


Nos meses de fevereiro e março, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou o “Dia D de Combate às Arboviroses” em oito bairros da cidade. Além de visitas domiciliares para eliminar focos do Aedes Aegypti, foram realizados mutirões para recolhimento de materiais que podem acumular água, como latas, recipientes plásticos, garrafas, pneus, pias e sucatas. A ação visa combater e prevenir arboviroses como dengue, zika vírus e chikungunya. Os bairros atendidos foram Linhares, Milho Branco, Vila Montanhesa, Retiro, Santa Luzia, Santa Cecília, Jardim Glória e São Pedro. Ao todo, foram recolhidas 118,9 toneladas de materiais e aqueles recicláveis foram encaminhados para os locais que coletam e reaproveitam esses itens.


Painel interativo de monitoramento de dengue, chikungunya e zika no estado


A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lançou o Painel Arboviroses: Vigilância Epidemiológica, um portal de internet para a divulgação dos casos, óbitos e incidência de dengue, chikungunya e zika no estado. A ferramenta traz maior visibilidade sobre a vigilância epidemiológica dessas arboviroses e possibilita o acesso direto a toda a população aos dados.


A coordenadora da vigilância estadual das arboviroses, Daniele Capistrano, explica que a ferramenta possibilita uma maior eficácia nas ações de prevenção.


De acordo com a pasta estadual da saúde, o painel de arboviroses será atualizado semanalmente. As pessoas podem fazer buscar por macrorregião, microrregião e municípios no endereço saude.mg.gov.br/aedes.



Confira também:

11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page