top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Juiz de Fora 173 anos: a história da primeira casa da Congregação Redentorista no Brasil

Padre Nelson Antônio Linhares conta a história da jornada que trouxe os primeiros missionários à Juiz de Fora. Daqui, a Congregação se estabeleceu no país.


Por Roberta Oliveira

Missionários redentoristas fundaram a Paróquia da Glória em Juiz de Fora | Foto: Igreja de NS da Glória/Acervo

Nesta quarta-feira, 31 de maio, Juiz de Fora completa 173 anos. Ao longo desta história, marcadas por pioneirismos, um deles dialoga com a Igreja Católica: o município se tornou a raiz da atuação da Congregação do Santíssimo Redentor no Brasil.


A chegada dos primeiros missionários redentoristas no país completa 130 anos em 2024, no mesmo ano que a Diocese celebra o centenário de fundação.


Para entendermos como estas histórias se entrelaçam, o Jornal Boa Nova conversou com o Padre Nelson Antônio Linhares C.S.s.R, Superior Provincial dos Missionários Redentoristas de Minas-Rio-Espírito Santo.


Os caminhos que trouxeram os Redentoristas à Juiz de Fora


E a história da congregação fundada na Itália no século 17 por Santo Afonso Maria de Ligório passa pelo “sim” de dois redentoristas holandeses ao convite para se estabelecerem em Juiz de Fora no fim do século 19.


Outro motivo era a necessidade dos colonos alemães que moravam na cidade em ter sacerdotes para conduzir as cerimônias e orientá-los na fé, como explica Padre Nelson.


Exposição em 2016 comemorou os 125 anos da fundação da 1ª Comunidade Redentorista no Brasil Foto: Igreja NS da Glória/Arquivo


Ecumenismo e apoio da comunidade


Neste período, Padre Nelson relata que o Curato da Glória tinha uma forte característica ecumênica, onde os padres holandeses redentoristas também ajudavam os fieis luteranos que viviam em Juiz de Fora.


No início, houve improviso para estabelecer a Congregação Redentorista em Juiz de Fora e Padre Nelson lembra que a comunidade católica abraçou a presença dos missionários.


Padre Nelson comenta que a atuação dos redentoristas neste período não se limitou aos bairros próximos do Curato da Glória. Os missionários eram responsáveis por uma área extensa e enfrentavam as dificuldades da época no trabalho presbiteral em Juiz de Fora.


Padre Nelson Antônio Linhares | Foto: Facebook.

A raiz plantada em Juiz de Fora frutifica pelo Brasil



A partir da Paróquia da Glória, a Congregação Redentorista em Juiz de Fora participou ativamente em diferentes setores da sociedade juiz-forana. Padre Nelson comenta o impacto no ensino, especialmente, o universitário.


Os missionários holandeses que vieram morar no então morro da Gratidão em Juiz de Fora marcaram o início das comunidades Redentoristas no Brasil. Outros missionários se estabeleceram em outros estados, cuidando de várias paróquias, basílicas e Santuários, entre eles, a principal igreja consagrada à Padroeira, Nossa Senhora Aparecida.


Santuário de Aparecida (SP) Foto: A12

112 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page