top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Dia Mundial do Rádio: professoras reforçam o compromisso obrigatório com a paz e o bem social

Atualizado: 14 de fev. de 2023

Por Roberta Oliveira


Nesta segunda-feira, 13 de fevereiro, é celebrado o 12º Dia Mundial do Rádio. A data foi criada pela Unesco, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Cada ano há reflexão e debate sobre um tema. Em 2023, é "O rádio e a paz".


O dia 13 de fevereiro foi escolhido como o Dia Mundial do Rádio, porque neste dia em 1946 houve a primeira transmissão da Rádio da Organização das Nações Unidas. A data foi

proclamado em 2011 pelos Estados-membros da UNESCO e aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2012 como Dia Internacional.


A Unesco reforça que o apoio à independência do rádio deve ser visto como parte integrante da paz e da estabilidade: um pilar para a prevenção de conflitos sejam os bélicos ou as narrativas midiáticas e um trabalho contínuo para a construção da paz.



Para refletir sobre a importância e a necessidade de todos que atuam no rádio em ter o compromisso com o trabalho de qualidade em promoção da paz e da sociedade, o Catedral Notícia ouviu as professoras Aline Maia e Tâmara Lis, da Estácio Juiz de Fora.



No Brasil, o rádio tem uma função social ímpar

A Doutora em Comunicação e coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade da Estácio, Aline Maia, pondera que o rádio se adaptou aos benefícios da evolução tecnológica, mantendo a missão de entreter, fazer companhia e informar a sociedade.



Aline Maia destaca o compromisso de todos que trabalham nas diferentes funções no rádio, para que ele seja um veículo de promoção da paz.



O respeito ao laço construído com quem ouve rádio

A Professora Tâmara Lis, radialista e jornalista com ampla atuação no mercado de comunicação, que foi produtora e repórter na primeira equipe da Rádio Catedral FM, também reforça a responsabilidade intrínseca a quem trabalha em rádio.


A Professora Tâmara Lis comenta sobre os laços de afetividade construídos com os ouvintes em um relacionamento pautado na ética, no respeito e na qualidade do trabalho desenvolvido nas emissoras.




Dia Mundial do Rádio*

O rádio é um meio poderoso para celebrar a humanidade em toda a sua diversidade e constitui uma plataforma para o discurso democrático. No âmbito global, o rádio continua sendo o meio de comunicação mais consumido. Essa capacidade única de alcançar o público mais amplo significa que o rádio é capaz de moldar a experiência de diversidade de uma sociedade, assim como de ser uma arena para que todas as vozes se manifestem, sejam representadas e ouvidas. As estações de rádio devem servir a diversas comunidades e oferecer uma ampla gama de programas, pontos de vista e conteúdos, além de refletir a diversidade dos públicos em suas organizações e operações.


O rádio continua sendo um dos meios de comunicação mais confiáveis e mais utilizados no mundo, segundo diferentes relatórios internacionais.


Dia Mundial do Rádio de 2023

O tema da 12ª edição do Dia Mundial do Rádio, a ser celebrado em 13 de fevereiro de 2023, é "O rádio e a paz".


“Guerra”, como antônimo de “paz”, significa um conflito armado entre países ou entre grupos dentro de um país, mas também pode se traduzir em um conflito de narrativas midiáticas. A narrativa pode aumentar as tensões ou manter as condições para a paz em um determinado contexto, por exemplo, dar ênfase à condução difícil ou tranquila de uma eleição, rejeitar ou integrar pessoas repatriadas, aumentar ou moderar o ânimo nacionalista etc. Ao fornecer relatos ou informar o público em geral, as estações de rádio moldam a opinião pública e enformam uma narrativa que pode influenciar as situações nacionais e internacionais, assim como os processos de tomada de decisão.


O rádio pode até alimentar conflitos, mas, na realidade, o rádio profissional atenua divergências e/ou tensões, evitando sua escalada ou promovendo negociações de reconciliação e reconstrução. Em contextos de tensão distante ou imediata, os programas pertinentes e o trabalho independente de reportagem fornecem a base para uma democracia sustentável e para a boa governança, ao reunir evidências sobre o que está acontecendo, ao informar os cidadãos a respeito em termos imparciais e com base em fatos, ao explicar o que está em jogo e ao negociar o diálogo entre os diferentes grupos da sociedade.


“... uma vez que as guerras começam na mente dos homens, é na mente dos homens que as defesas da paz devem ser construídas”.

*Fonte: Site da Unesco

17 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page