top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

"Mais de R$ 2 milhões": Reitor detalha impacto do bloqueio de recursos federais na UFSJ

Por Rádio Catedral


"Política de desmonte das universidades federais". Desta forma, o reitor da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Marcelo Andrade, avaliou o contingenciamento de recursos do orçamento anunciado pelo governo federal.


Em coletiva nesta quinta-feira, 6 de outubro, ele informou que o impacto imediato na instituição ultrapassa R$ 2 milhões e supera R$ 6 milhões neste ano.



Por meio do Decreto nº 11.216, que altera o Decreto nº 10.961, de 11/02/2022., o Governo Federal contingenciou 5,8% do orçamento do Ministério da Educação, o que corresponde a R$ 328,5 milhões.


"O dinheiro continua como crédito disponível, mas a gente não pode usar", disse reitor


O reitor da UFSJ, Marcelo Andrade, abriu a coletiva falando como que o contingenciamento dos recursos impactou na instituição.



Somando todos os cortes anunciados até agora, o reitor Marcelo Andrade explicou que a perda orçamentária em 2022 supera 6 milhões de reais.



Ele destacou que foram definidas prioridades de gastos para manter a instituição funcionando sem mais prejuízos ao ensino, pesquisa, extensão e aos contratos assumidos.

De acordo com o reitor Marcelo Andrade, se permanecer a retenção orçamentária para 2023, será impossível garantir o funcionamento da Universidade no próximo ano.



O reitor da Universidade Federal de São João del-Rei Marcelo Andrade considerou a medida um ataque às universidades e ao ensino superior.



A UFSJ tem três campi em São João del-Rei: Dom Bosco, Santo Antônio, Tancredo Neves e outros três em Minas Gerais: Alto Paraopeba, Divinópolis, Sete Lagoas


Impacto nas instituições federais da região


Segundo a UFV, somados aos outros cortes realizados neste ano, a medida representa R$ 7.912.513,00 a menos para manutenção das atividades de ensino, pesquisa e extensão.


Na nota, o reitor Demétrius David da Silva reforçou que todas as adaptações necessárias e possíveis foram realizadas e o cenário anuncia o sucateamento dos serviços e a proximidade da paralisação das atividades.


A UFJF ainda não informou o valor retido pelo governo federal. O assunto será debatido em uma reunião extraordinária do Conselho Superior nesta sexta-feira, dia 7. Em agosto, o reitor Marcus David informou que o déficit orçamentário da instituição chegava a R$ 11 milhões neste ano.


Em nota publicada nesta quinta-feira, 6 de outubro, o IF Sudeste MG explicou que foram retirados R$ 1.358.533,39, o que corresponde a 5,8% do orçamento de custeio. No bloqueio de 14,5% realizado em maio deste ano pelo governo federal, foram retirados mais R$ 3.266.616,00 o que corresponde a 9,58% do total. Desta forma, neste ano, o corte de recursos ultrapassa R$ 4,5 milhões, segundo a instituição.




15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page