top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Infectologista explica sobre a bactéria Streptococcus identificada em São João del-Rei (MG)

Por Fabíola Castro


Depois da confirmação de casos da bactéria Streptococcus em crianças em São João del-Rei, no Campo das Vertentes, muitas dúvidas surgiram quanto a sua gravidade e se óbitos que ocorreram na cidade estavam relacionados com a bactéria.


No fim do mês de setembro, um menino de 10 anos morreu na Santa Casa Misericórdia de São João del Rei, com quadro séptico (infecção generalizada) e conforme nota da Secretaria de Saúde, a declaração de óbito apontou infecção por Streptococcus pyogenes, mas não houve coleta de material para confirmação em laboratório.


Já no início de outubro uma menina de 9 anos foi hospitalizada com sintomas de febre, lesão em calcâneo e pé. Após exames, amostras foram enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmando a contaminação por Streptococcus sp. alfa-hemolítico, mas, felizmente, a criança ficou bem e teve alta.


Também no início de outubro uma menina de 3 anos, moradora de São João del-Rei, morreu durante uma viagem com a família para o Maranhão. Conforme a pasta da saúde do município mineiro, a declaração de óbito apontou insuficiência respiratória aguda, hemorragia pulmonar, infecção não especificada e outros defeitos da coagulação, mas ainda é aguardado o resultado da necropsia.


Para o óbito de uma menina de 10 anos no fim de outubro foi descartada a bactéria Streptococcus em exames feitos pela Funed - Fundação Ezequiel Dias.


Ainda no fim de outubro, um menino de 8 anos, morador de Santa Cruz de Minas, cidade vizinha a São João del-Rei, apresentou sintomas parecidos com os demais casos e, após ser internado, precisou ser transferido para Belo Horizonte, mas o seu estado de saúde não foi divulgado.


Os sintomas que têm sido apresentados por crianças são de amigdalite, febre, vômito, manchas ou erupções na pele.


Depois dos casos, as Escolas Municipais de São João del-Rei foram fechadas apesar de não haver orientação inicial que apontasse para o fechamento. As instituições passaram por uma desinfecção e limpeza generalizada e já foram reabertas.


O Médico Infectologista, Doutor Marcos Moura, em entrevista para o quadro Bendita Saúde desta quinta-feira, 9, explicou sobre essa bactéria.


Confira:


O que é a bactéria Streptococcus?


Quais são as formas de transmissão?



Quais são os principais sintomas? O que essa bactéria pode causar?


Existe uma vacina? Ou qual é o tratamento? Há os testes rápidos que inclusive começaram a ser usados nesse momento após casos dessa bactéria em São João del-Rei?


Qual a importância de se ter esses testes rápidos no SUS - Sistema Único de Saúde nesse momento?


Diante de todas as suspeitas, qual a melhor forma de prevenção?


Obrigada, Doutro Marcos pela sua contribuição e participação mais uma vez no nosso quadro, pela sua disponibilidade de sempre.


Instagram do Infectologista: @drmarcos.moura.


Os Streptococcus se apresentam como um conjunto de esferas (cocos) organizadas em cadeia.

O Ministério da Saúde enviou no fim de outubro uma equipe técnica da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente para o município de São João del-Rei, atendendo, segundo o órgão, ao pedido da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, para apoio nas investigações de casos suspeitos de óbitos pela bactéria Streptococcus pyogenes.


A pasta da saúde nacional reforçou, em nota, que, até o momento, não há evidências que comprovem surto ou risco à saúde da população de São João del-Rei, bem como nenhuma evidência epidemiológica que justifique a alteração na rotina das atividades da população local.


Também estão sendo realizadas investigações para busca de casos suspeitos; orientações ao município para investigação epidemiológica e coleta de exames laboratoriais para diagnóstico; e treinamento com a rede assistencial do município, com objetivo de orientar na detecção e no tratamento oportuno de casos suspeitos de infecção.


Nesta semana começaram a ser utilizados em São João del-Rei os testes rápidos para detecção da bactéria do gênero Streptococcus que foram distribuídos para as Unidades Básicas de Saúde com Estratégia em Saúde da Família e Unidade de Pronto Atendimento (UPA).


De acordo com a Prefeitura do município, o exame só será realizado com critério médico baseado na análise dos sintomas, conforme protocolo elaborado para os profissionais de saúde. Para o teste é feita uma coleta na faringe do paciente com um cotonete e o resultado sai em cerca de 5 minutos.


Como o Infectologista Doutor Marcos Moura disse, cuidados básicos de higiene e contato entre as pessoas são sempre importantes quando se tem sintomas que não são comuns da rotina da pessoa e que precisam de atenção.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page