top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Estudo da UFJF oferece atendimento para reabilitação de pessoas com sequelas cognitivas da Covid-19

O projeto gratuito recruta voluntários maiores de idade que tiveram Covid-19 nos últimos seis meses e que apresentem sintomas cognitivos como dificuldade de memória e fala, confusão mental, falta de coordenação motora.


Por Fabíola Castro

Foto cedida pela Profª Nadia - juntamente com ela a Profª Eliana, e parte da equipe de alunos da graduação.



O Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa em Neuropsicologia e Gerontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em parceria com o Laboratório de Neurociência e Cognição (LaNC), oferece atendimento gratuito para reabilitação de pessoas com sequelas cognitivas de Covid-19. As inscrições são contínuas e devem ser feitas por meio de formulário eletrônico. O projeto é coordenado pelas professoras Nadia Shigaeff e Eliana Toscano.


Para explicar sobre esse estudo e os atendimentos, as docentes participaram do quadro de entrevistas "Bendita Saúde" na última semana.


A Professora de Neuropsicologia, pesquisadora e líder do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa em Neuropsicologia e Gerontologia, coordenadora do projeto “Ensaio clínico sobre o efeito da reabilitação cognitiva em indivíduos com Covid-19” da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Nadia Shigaeff falou sobre o projeto na terça-feira, 4 de abril.


Confira:


Em que consiste o atendimento para reabilitação de pessoas com sequelas cognitivas de Covid-19?


Quais seriam essas sequelas cognitivas deixadas pela Covid-19?


Esse projeto já vem sendo realizado há um tempo? Quanto tempo? Como ele está agora?


Então, agora o projeto vai para mais uma fase?


Quais são os critérios para as pessoas participarem do estudo e receberem o atendimento?


Como as pessoas se inscrevem?


O que é oferecido aos pacientes durante os atendimentos? E como e onde eles acontecem?


Além de receber esse tratamento, há a contribuição do paciente com o estudo, com a ciência com novas descobertas que vão beneficiar outras pessoas no futuro?


Na prática como é o programa de reabilitação cognitiva?


Você citou o exemplo da reabilitação de fisioterapia, a reabilitação cognitiva também precisa de frequência?


Então, reforçando é muito importante que as pessoas que tiveram a Covid-19 nos últimos seis meses e que apresentem esses sintomas citados participem do estudo, recebam o tratamento e contribuam para que essas possíveis sequelas da Covid longa sejam amenizadas, curadas?


Estudo segue em segunda fase


O estudo “Ensaio clínico sobre o efeito da reabilitação cognitiva em indivíduos com Covid-19” está em andamento desde 2021 recrutando voluntários que tiveram a Covid e ficaram com sequelas cognitivas. O projeto é gratuito e busca ajudar na reabilitação cognitiva dessas pessoas.


A pesquisadora, professora Eliana Toscano, líder do grupo de Neuroimunologia Translacional que faz parte também do estudo em sua segunda fase conversou com a Rádio Catedral na última quinta-feira, 6 de abril, e explicou sobre a continuidade do projeto que vem contribuindo com pacientes com sequelas cognitivas da Covid-19, buscando respostas e fazendo descobertas a cerca da doença e suas consequências a longo prazo na vida das pessoas.


Confira:


A UFJF vem realizando estudo com atendimentos para reabilitação de pessoas com sequelas cognitivas de Covid-19, com o núcleo “Ensaio clínico sobre o efeito da reabilitação cognitiva em indivíduos com Covid-19 grave”? Em que consiste essa parte da pesquisa?


Essas sequelas, sintomas da Covid longa já se sabe se são passageiros ou se podem se agravar?


Para outras doenças essa reabilitação cognitiva foi eficiente?


A iniciativa do estudo surgiu quando foi percebido que a Covid-19 não causava apenas sintomas respiratórios? Essa segunda fase pesquisa as evidências recentes sobre a relação da inflamação sistêmica e a inflamação no cérebro em pacientes com Covid”?


Além das sessões de reabilitação cognitiva, será coletada uma amostra de sangue dos pacientes? Como se dá com os pacientes voluntários essa parte do estudo?


Qual a importância da participação dessas pessoas que tiveram a Covid e apresentem esses sintomas cognitivos?


E diante disso, os voluntários são fundamentais para que a ciência faça descobertas que vão beneficiar esses pacientes que estão passando pela reabilitação e outras pessoas daí para frente?


Quais as suas considerações?


Para participar da iniciativa, os critérios são: diagnóstico de Covid-19 nos últimos seis meses; residir em Juiz de Fora ou ter facilidade para se deslocar para a cidade; e acreditar ter algum comprometimento cognitivo por consequência da infecção, por exemplo.


Se você teve Covid e tem esses sintomas ou conhece alguém pode se inscrever para participar do estudo e receber o tratamento. Acesse o Instagram da Liga Acadêmica de Neurociências da Universidade Federal de Juiz de Fora - @lanc.ufjf.


Após o diagnóstico, o tratamento é realizado no Ambulatório de Neurologia do Hospital Universitário (HU-UFJF).


21 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page