top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Encontro na fé: devotos se preparam para festa de São Sebastião em Capela de Juiz de Fora

Por Roberta Oliveira


Começou nesta terça-feira, 17 de janeiro, o tríduo preparatório para a festa de São Sebastião na capela que pertence à Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Rua Jacob Valério, 340, no Bairro Santa Cruz, em Juiz de Fora.


O tríduo será rezado na missa de 19h30 até amanhã, dia 19. Na sexta, 20, dia de São Sebastião, as celebrações serão à noite, como explica o pároco, Padre José Cisneiros.


Padre Cisneiros convida a participar deste momento de encontro com a fé sob a inspiração do testemunho de São Sebastião.


Confira também:


Programação da festa na Capela de São Sebastião



História de São Sebastião*


São Sebastião nasceu em Narbonne; os pais eram oriundos de Milão, na Itália, do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.


Soldado


Ao entrar para o serviço no Império, como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos –, porque o imperador adorava os deuses. Enquanto os cristãos não adoravam as coisas, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.


O Consolo


Esse mistério o levava a consolar os cristãos que eram presos de maneira secreta, mas muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.


Soldado e Defensor da Igreja


São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida.


Um desejo


O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir. E um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.


Defensor da Verdade


São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele.


Páscoa


Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288, foi duramente martirizado.


Oração


“São Sebastião que foste flechado pelo povo, mas também pelo amor divino, colocai em nós essa ferida de amor que não sara e não se cansa de procurar o amado de nossas vidas até às últimas consequências. Amém.”



*Fonte: Site da Canção Nova.

14 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page