top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Celebrações fazem memória dos 40 anos do martírio da Serva de Deus Isabel Cristina

Por Rádio Catedral


Celebrações em paróquias na Arquidiocese de Mariana lembram os 40 anos do martírio da Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos nesta quinta-feira, 1º de setembro.


Após ter o martírio reconhecido pelo Papa Francisco, a beatificação da Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos será no dia 10 de dezembro de 2022, em Barbacena (MG). O Prefeito do Dicastério da Causa dos Santos, Cardeal Marcello Semeraro, representará o Santo Padre, Papa Francisco, na cerimônia.


Às 15h, no Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, no Campo das Vertentes haverá uma missa presidida pelo pároco Monsenhor Danival Milagres Coelho. Esta era a comunidade de fé frequentada pela Venerável e familiares. A cerimônia será transmitida nas redes sociais da Paróquia e também no Facebook da Arquidiocese de Mariana.


Em Mariana (MG), a missa em memória ao martírio de Isabel Cristina será às 19h, no Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora do Carmo.


Às 21h30, o Seminário Arquidiocesano São José promove uma live sobre a vida da futura beata, com a participação do Padre Geraldo Dias Buziani e será transmitida pelas redes sociais do Seminário.


Sobre a Serva de Deus Isabel Cristina*

Isabel Cristina Mrad Campos nasceu em 29 de julho de 1962, em Barbacena (MG), em uma família católica, filha de José Mendes Campos e Helena Mrad Campos. Segundo a Arquidiocese de Mariana, ela era “sensível, sobretudo com os mais pobres, idosos e crianças, o que certamente aprendeu na família, que era vicentina”.


Desde a adolescência, fez parte da Associação de Voluntariado das Conferências de São Vicente e seu pai foi presidente do Conselho Central de Barbacena. Participava frequentemente da missa e dos sacramentos.


Em 1982, mudou-se para Juiz de Fora (MG) a fim de frequentar um curso pré-vestibular para ingressar na faculdade de medicina, pois sonhava em ser pediatra para ajudar crianças carentes.


Desde o início, conta o site postulazionecausesanti.it, “achou na nova cidade um lugar para poder estudar, mas acima de tudo para rezar na Igreja do Cenáculo, onde era exposto o Santíssimo Sacramento”.


Naquele mesmo ano, a jovem preparava um pequeno apartamento para onde havia se mudado com seu irmão, Paulo Roberto. No dia 1º de setembro, um homem que foi para montar um guarda-roupa tentou violentá-la, mas Isabel resistiu para manter sua castidade.


Diante da resistência da jovem, o homem lhe deu uma cadeirada na cabeça, amarrou a moça, amordaçou e rasgou suas roupas. Como a jovem não cedeu, o agressor lhe deu 15 facadas, matando-a.


Devido ao modo como morreu e, sobretudo, pela forma como viveu, afirma a Arquidiocese mineira, “algumas pessoas tiveram a iniciativa de entrar com o pedido de um processo para sua beatificação” e o processo foi instalado em 2001.


Como Isabel Cristina foi batizada e recebeu a primeira comunhão na Matriz da Piedade, em Barbacena, e também pela ligação afetiva de seus pais com a paróquia, decidiu-se que seus restos mortais deveriam ficar no Santuário da Piedade.


*Fonte: ACI Digital.

35 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page