• Radio Catedral

Serva de Deus, Isabel Cristina, será beatificada em Barbacena no dia 10 de dezembro


A jovem de Barbacena que veio estudar em Juiz de Fora, foi morta na cidade, em 1º de setembro de 1982, por ódio à fé e por defender a sua castidade.



Por Rádio Catedral

A mártir Isabel Cristina Mrad Campos | Foto: Site Arquidiocese de Mariana.

A Arquidiocese de Mariana informou, na manhã desta quinta-feira (23), que a Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos será beatificada no dia 10 de dezembro de 2022, em Barbacena (MG).


Em outubro de 2020, o Papa Francisco já havia reconhecido o martírio da jovem, mas devido a pandemia da Covid-19 não foi possível marcar a data deste grande evento eclesial. Isabel Cristina foi morta em Juiz de Fora no dia 1º de setembro de 1982, por ódio à fé, por defender a sua castidade.


No comunicado oficial, o Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, informou que o Prefeito do Dicastério da Causa dos Santos, Cardeal Marcello Semeraro, representará o Santo Padre, Papa Francisco, na cerimônia de beatificação.


Sobre a Serva de Deus Isabel Cristina*

Isabel Cristina Mrad Campos nasceu em 29 de julho de 1962, em Barbacena (MG), em uma família católica, filha de José Mendes Campos e Helena Mrad Campos. Segundo a Arquidiocese de Mariana, ela era “sensível, sobretudo com os mais pobres, idosos e crianças, o que certamente aprendeu na família, que era vicentina”.


Desde a adolescência, fez parte da Associação de Voluntariado das Conferências de São Vicente e seu pai foi presidente do Conselho Central de Barbacena. Participava frequentemente da missa e dos sacramentos.


Em 1982, mudou-se para Juiz de Fora (MG) a fim de frequentar um curso pré-vestibular para ingressar na faculdade de medicina, pois sonhava em ser pediatra para ajudar crianças carentes.


Desde o início, conta o site postulazionecausesanti.it, “achou na nova cidade um lugar para poder estudar, mas acima de tudo para rezar na Igreja do Cenáculo, onde era exposto o Santíssimo Sacramento”.


Naquele mesmo ano, a jovem preparava um pequeno apartamento para onde havia se mudado com seu irmão, Paulo Roberto. No dia 1º de setembro, um homem que foi para montar um guarda-roupa tentou violentá-la, mas Isabel resistiu para manter sua castidade.

Diante da resistência da jovem, o homem lhe deu uma cadeirada na cabeça, amarrou a moça, amordaçou e rasgou suas roupas. Como a jovem não cedeu, o agressor lhe deu 15 facadas, matando-a.


Devido ao modo como morreu e, sobretudo, pela forma como viveu, afirma a Arquidiocese mineira, “algumas pessoas tiveram a iniciativa de entrar com o pedido de um processo para sua beatificação” e o processo foi instalado em 2001.


Como Isabel Cristina foi batizada e recebeu a primeira comunhão na Matriz da Piedade, em Barbacena, e também pela ligação afetiva de seus pais com a paróquia, decidiu-se que seus restos mortais deveriam ficar no Santuário da Piedade.


*Fonte: ACI Digital.

0 comentário