top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Santo Expedito: Pe. Domício fala sobre o exemplo de conversão imediata do intercessor pelas causas urgentes

Por Roberta Oliveira



A Igreja Católica faz memória nesta sexta-feira (19) daquele que ficou conhecido como Santo Expedito. O comandante de uma legião do Império Romano se converteu firmemente, a ponto de ser morto por causa de Jesus Cristo. Ele se tornou inspiração para os soldados que liderava de permanência na fé e o intercessor de muitos devotos que enfrentam causas urgentes.


O vigário paroquial da Paróquia Santa Teresinha, Padre José Domício, explica que o militar Expedito teve contato com a Palavra de Deus e quis a conversão.



Expedito entendeu que se converter era uma decisão que não poderia ser adiada. Por isso, se tornou um exemplo para outros, o que o levou a ser perseguido e martirizado, como conta Padre Domício.



Padre Domício reforça que Santo Expedito é conhecido por ser o padroeiro das causas urgentes e se tornou um intercessor de muitos devotos que buscam ajuda para encontrar as soluções de problemas.





Santo Expedito celebrado na Arquidiocese de Juiz de Fora

Em Juiz de Fora, são duas festas. No Bairro Alto Eldorado, as próximas missas serão às 15h e 19h30. Na Área Missionária Santo Expedito, da Paróquia São Sebastião, na Barreira do Triunfo, está prevista Eucaristia nas casas, 19h.

Em Lima Duarte, a Comunidade Santo Expedito no Bairro Vila Belmira, haverá procissão a partir das 18h30 com a imagem saindo da rua Paulo Oliveira, 12, em frente à casa de Dona Laurinha, até o salão comunitário, onde será celebrada Missa Festiva


Em Santos Dumont, a Comunidade Santo Expedito na Rua José Paulo Ferreira, s/n, na Vila Brandão, em Perobas, terá o segundo dia do tríduo com com oração do terço às 18h30, seguida de missa às 19h. A festividade termina no domingo (21) a partir das 16h, com procissão saindo e retornando a Comunidade, para Santa Missa Festiva


Em Bias Fortes, a Área Missionária Santo Expedito, no Bairro Santo Expedito, hoje a missa será às 18h.


História de Santo Expedito

*Fonte: Arquidiocese de São Paulo


Santo Expedito foi martirizado na Armênia, no século II. Ele era militar, foi decapitado no dia 19 de abril de 303, sob o imperador Dioclesiano, que subira ao trono de Roma em 284.

Levava uma vida devassa; mas um dia, tocado pela graça de Deus, vendo uma grande luz, tudo mudou em sua vida. Foi então que lhe apareceu o Espírito do mal, em forma de corvo, e lhe segredou “cras….! cras….! cras….!” palavra latina que quer dizer: “Amanhã…! amanhã…! amanhã…!, isto é – Deixe para amanhã! Não tenha pressa! Adie sua conversão!”.

Mas Santo Expedito, pisoteando o corvo, esmagou-o, gritando: HODIE! Quer dizer: HOJE! Nada de protelações! É pra já!” É por isto que o Santo Expedito é invocado nos casos que exige solução imediata, nos negócios em que qualquer demora poderia causar prejuízo. No Brasil, sobretudo, Santo Expedito é invocado nos negócios, o santo da “ultima hora”, num sim, sem adiamentos. Pouco conhecido dos historiadores, mas sua existência é certa. Santo Expedito, segundo a tradição, era armênio, não se conhecendo o lugar de seu nascimento, mas parece provável que seja Metilene, localidade onde sofreu seu martírio. A Armênia é uma região da Ásia Ocidental, situada ao Sul do Cálcaso, entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, nas margens dos Rios Tigre e Eufrates.

Essa região foi sempre considerada uma terra de predileção. Aliás, pelo testemunho da Sagrada Escritura, foi sobre as montanhas armênias do Ararat que a Arca de Noé pousou quando as águas do dilúvio baixaram (Gênesis, 8.5). A Armênia foi uma das primeiras regiões a receber a pregação dos apóstolos Judas Tadeu, Simão e Bartolomeu, mas também local de inúmeras perseguições aos cristãos. Essa região foi regada com o sangue de muitos mártires, entre eles Santo Expedito. Sua cidade natal (com toda probabilidade) não passa hoje de uma pequena localidade chamada Melatia, cidade construída no século II pelo imperador romano Trajano.

A partir de Marco Antonio, tornou-se residência da 12ª Legião, conhecida como “Fulminante”, cuja missão era defender o império romano dos bárbaros asiáticos. Hoje Metilene é uma cidade mística e simples, onde sua população vive em calma, longe das agitações políticas. Além de Santo Expedito, que foi levado à morte a 19 de Abril de 303, sob o poder de Deocleciano, lá veneram-se outros Santos mártires, entre eles: São Polieucto, outro oficial do exército romano que foi martirizado no século III.

Deocleciano subiu ao trono de Roma em 284. Por seu ambiente e por seu caráter, parecia oferecer aos cristãos garantias de benevolência, pois havia em seu palácio a liberdade de religião, sendo, inclusive, sua esposa Prisca e sua filha Valéria, cristãs, ou ao menos, catecúmenas. Sob influências de Galero, seu genro, pagão convicto, determinou a perseguição dos cristãos, ordenando a destruição de igrejas e livros sagrados, a cessação das assembleias cristãs e a abjuração de todos os cristãos.


Galero, sempre incitado por sua mãe, também pagã, queria abolir para sempre o Cristianismo e através de insinuações maldosas e hábeis calúnias, fez crer a Deocleciano, que o cristianismo conspirava de várias formas contra a augusta pessoa do imperador. Deocleciano, então, empreendeu a exterminação sistemática dos cristãos, envolvendo, inclusive, os membros de sua própria família e os servidores de seu palácio. Foi uma hecatombe sangrenta: oficiais, magistrados, o bispo da Nicomédia (Antino), padres, diáconos, simples fiéis foram assassinados ou afogados em massa. Somente em 324, com a retomada da autoridade do imperador cristão Constantino, foi que tiveram fim as terríveis perseguições que durante três séculos tinham ensanguentado a Igreja.


7 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page