top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Realizada coletiva de apresentação da Campanha da Fraternidade 2022 na Arquidiocese de Juiz de Fora

por Fabíola Castro e Giovane Rezende*

*Fotos por Danielle Quinelato da Assessoria de Comunicação da Arquidiocese JF


Foi realizada na tarde desta quinta-feira, 24, no prédio da Cúria Metropolitana, entrevista coletiva de lançamento da Campanha da Fraternidade 2022 em nível Arquidiocesano. Participaram o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, o Vigário Episcopal para Educação, Comunicação e Cultura, padre Antônio Camilo de Paiva, e o Secretário-executivo de Pastoral, Padre Everaldo José Sales Borges.


Neste ano, a Campanha da Fraternidade reflete sobre a Educação, com o tema "Fraternidade e Educação" e o lema "Fala com sabedoria, ensina com amor"(Pr 31,26). É a terceira vez que a Igreja no Brasil aprofunda o tema da Educação, desde a primeira edição da Campanha, em 1964. Desta vez, a reflexão será impulsionada pelo Pacto Educativo Global, convocado pelo Papa Francisco.


Segundo Dom Gil, o tema é de imensa importância, pois diz respeito e envolve a todas as pessoas, já que tudo que fazemos em nossa vida tem aspecto educativo.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) sempre abre a campanha na Quarta-feira de Cinzas, primeiro dia da Quaresma, como caminho de conversão quaresmal. Em Juiz de Fora, a abertura acontece na próxima quarta-feira, 2, às 19h, na Catedral Metropolitana. Dom Gil Antônio Moreira destaca que, toda a educação que damos hoje, reflete diretamente no Mundo que estamos criando, portanto é um apelo à conversão para uma educação que envolva a todos.

Durante o ano, a Pastoral da Educação Arquidiocesana, ligada ao Vicariato para Educação, Comunicação e Cultura, sempre promove uma série de eventos, voltados para os educadores das escolas católicas e para aqueles que trabalham em instituições públicas e professam a fé católica. Em razão da Campanha envolver diretamente a educação, para este ano, a novidade será a participação das instituições de ensino na Via-Sacra da Juventude, promovida sempre no segundo domingo da Quaresma, neste ano, no dia 13 de Março.


Tradicionalmente, a concentração acontece pela manhã, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Cidade Alta, com a caminhada em direção ao Morro do Cristo começando logo após a Santa Missa. Além deste evento, diversas paróquias e comunidades da Arquidiocese também promovem debates, discussões, momentos de oração e celebrações dentro da temática principal da Campanha da Fraternidade. O Arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, orienta aos fiéis que participem de toda a programação.

O Vigário Episcopal para Educação, Comunicação e Cultura, padre Antônio Camilo de Paiva, também destaca a ampla programação da Campanha da Fraternidade na Arquidiocese, tratando do tema "Fraternidade e Educação".

Conforme Padre Camilo, é muito importante debater a Educação, principalmente dentro do Pacto Educativo Global, convocado pelo Papa Francisco, que envolve a todos neste processo educativo.

O objetivo da Campanha, ainda de acordo com Padre Antônio Camilo de Paiva, mais do que agir, é fomentar e conscientizar os diversos atores sociais a irem em busca, principalmente, dos estudantes que evadiram as escolas neste período de pandemia.

O Secretário-executivo de Pastoral, Padre Everaldo José Sales Borges, ressalta que, quando a Campanha da Fraternidade nos convida a discutir a Educação, ela nos pede que assumamos um lugar neste caminho educativo.

A Missa de abertura da Campanha da Fraternidade 2022 em nossa Arquidiocese, na próxima quarta-feira, 2, às 19h, será celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira.


A Coleta da Solidariedade, expressão da Campanha da Fraternidade por meio de doações em dinheiro, um gesto concreto de fraternidade, partilha e solidariedade, feito em âmbito nacional, em todas as comunidades, paróquias e dioceses, acontece no Domingo de Ramos, 10 de Abril.


Do total arrecadado localmente, a Arquidiocese de Juiz de Fora deve enviar 40% ao Fundo Nacional da Solidariedade (FNS), gerido pela CNBB. Com estes recursos serão apoiadas iniciativas de grupos, associações e outras organizações que desenvolvam ações afins com o tema da campanha. Os outros 60% permanecem na Arquidiocese para atender projetos locais.

31 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page