• Radio Catedral

Obesidade: pesquisa da UFJF aponta a comorbidade como fator de risco mais evidente nos mais jovens

Por Fabíola Castro

Imagem: Pixabay.

A pesquisa "Covid-19 e obesidade: uma análise epidemiológica dos dados brasileiros", desenvolvida pela pesquisadora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Professora Jacy Gameiro, aponta que o coronavírus potencializa que pacientes com obesidade cheguem a óbito mais novos que indivíduos sem a comorbidade. O estudo também mostra que o fator de risco está associado a um aumento na necessidade da internação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e do uso do suporte ventilatório para quem está hospitalizado.


De acordo com a pesquisa, a obesidade como fator de risco para Covid-19 fica mais evidente nos mais jovens. A Professora e Pesquisadora, Jacy Gameiro, explica, em entrevista, sobre o estudo. Confira:


Como a pesquisa foi desenvolvida?


O estudo mostra que o fator de risco obesidade está associado com maior gravidade da Covid-19 e, a um aumento na necessidade da internação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), além do uso do suporte ventilatório para quem está hospitalizado?

Desde o início da pandemia, outras pesquisas já mostravam que o número de pacientes que requerem cuidados intensivos, assim como o número de mortes, é maior entre os indivíduos acima dos 60 anos de idade. No entanto, as investigações também demonstraram que algumas doenças preexistentes podem ser consideradas fatores de risco, como, por exemplo, hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares.


A obesidade também é uma comorbidade relacionada à Covid-19, que tem um papel importante no desenvolvimento da doença?


Como que o estudo mostra o desenvolvimento de formas graves da doença em pacientes com a obesidade?


Além da obesidade, o indivíduo pode apresentar outras comorbidades associadas, outros agravantes para a Covid-19?


Quando a pessoa é considerada obesa, como se chega a esse diagnóstico?


Como calcular o IMC – Índice de Massa Corpórea da pessoa?


Você comentou que seria importante todos os graus de obesidade estarem contemplados pelo PNI – Programa Nacional de Imunizações, mas nesse momento são contemplados apenas aquelas pessoas com obesidade mórbida?


Para além de se pensar esteticamente, a obesidade precisa ser tratada visando a saúde do individuo?

O estudo, "Covid-19 and Obesity: An Epidemiologic Analysis of the Brazilian Data - Covid-19 e obesidade: uma análise epidemiológica dos dados brasileiros", foi publicado no International Journal of Endocrinology, e contou com a colaboração além da professora Jacy Gameiro, dos pesquisadores Victória Ribeiro, Ana Gualberto e Fernanda Peres da UFJF; Diego Assis Gonçalves e Michaela Luconi da Universidade de Florença – Itália; e Fernanda Peres, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo