• Radio Catedral

Patrono da Igreja Católica de Juiz de Fora, Santo Antônio é celebrado neste domingo (13)

Por Fabíola Castro*



Neste domingo, 13 de junho, a Igreja Católica celebra Santo Antônio de Pádua ou de Lisboa, santo tão popular e amado em tantos cantos do mundo. Ele nasceu em Lisboa, Portugal, em 1195 e foi batizado com o nome de Fernando de Bulhões. Ainda jovem, pertenceu à Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, em sua terra natal. Depois foi para Coimbra, e lá ordenado sacerdote.


Santo Antônio tinha o dom da palavra e a força na pregação e, assim, foi pregar o Evangelho em Marrocos, no Norte da África, disposto também a dar a vida por Jesus Cristo. Durante essa viagem ficou muito doente e precisou voltar. No seu retorno, o barco onde estava foi atingido por uma forte tempestade que desviou a rota e ele foi parar na Itália.


Santo Antônio conheceu pessoalmente São Francisco de Assis, que por seu conhecimento teológico o colocou responsável pela formação dos frades. Grandes eram os seus sermões. Sua maneira de pregar atraía multidões e provocava profunda conversão no coração daqueles que o escutavam. A exemplo de São Francisco, ele era um grande irmão dos mais pobres, tinha um olhar atento aos necessitados e um coração que partilhava o pão.


O Papa Gregório IX chamou Santo Antônio de “arca do Testamento”, por ser um grande pregador e conhecedor bíblico. Sua imagem que nos é apresentada traz o santo segurando o Livro dos Evangelhos, e sobre o livro o Menino Jesus, que expressa como sua pregação revelava o Verbo Encarnado.


Santo Antônio morreu em Pádua, Itália, em 13 de junho de 1231, com apenas 36 anos. Após sua morte aconteceram tantos milagres que 11 meses depois ele foi beatificado e canonizado.


Quando seu corpo foi exumado sua língua estava intacta. São Boaventura, frade Franciscano que estava presente, disse que esse milagre era a prova de que sua pregação era inspirada por Deus., Santo Antônio foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII. Ele é conhecido tanto como Santo Antônio de Lisboa, pela cidade onde nasceu em Portugal, quanto como Santo Antônio de Pádua, pela cidade onde morreu na Itália.


Na Arquidiocese de Juiz de Fora, assim como em tantos lugares do mundo, o santo é venerado e amado em inúmeras paróquias e capelas que o tem como padroeiro, assim como a própria Arquidiocese, o Seminário que é casa de formação de sacerdotes e leigos, a cidade de Juiz de Fora e muitos outros municípios que pertencem a esta Igreja Particular.


O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, lembra do exemplo de zelo e amor desse santo pelas coisas de Deus e também pelos pobres e, que é tão amado e venerado séculos depois de sua morte.

A sede da Igreja Católica de Juiz de Fora, a Catedral Metropolitana, é dedicada a Santo Antônio. Para o Administrador Paroquial, Padre José de Anchieta Moura Lima, o padroeiro é modelo de vivência dos valores do Evangelho, do ideal da pobreza e desapego, da simplicidade evangélica, e de vida missionária.


A cidade de Juiz de Fora nasceu de uma comunidade dedicada a Santo Antônio, hoje Paróquia Santo Antônio do Paraibuna, no bairro que também leva o nome do padroeiro. O pároco, Padre José Maurício de Paula, comenta sobre a devoção desenvolvida e nutrida nesse local.


No interior da Arquidiocese de Juiz de Fora, outras paróquias também têm Santo Antônio como padroeiro, como em Ewbank da Câmara, e o pároco, Padre Jânio Carlos Mota, destaca os seus vários títulos devido às virtudes que ele tinha e viveu.


Outra pequena cidade do interior que vive e cultiva sempre a devoção ao seu padroeiro, Santo Antônio, é Olaria, como conta o Pároco, Padre Tadeu Jesus Vieira.


Mais distante da sede em Juiz de Fora, no Sul de Minas, entre as belas montanhas da Serra da Mantiqueira está a Quase-Paróquia de Santo Antônio de Pádua, do Distrito de Santo Antônio do Alto Rio grande, em Bocaina de Minas. Lá, o pároco, Padre Samuel Carlos Moreira, define a devoção ao padroeiro como encanto para o coração.

A casa de formação dos futuros sacerdotes da Igreja Particular de Juiz de Fora e também de leigos tem a proteção de Santo Antônio, o padroeiro do Seminário Arquidiocesano, exemplo para todos que por ali passam, como comenta o formador, Padre José Domício Ferreira da Silva.


A Arquidiocese de Juiz de Fora tem ainda Paróquias dedicadas a Santo Antônio nas cidades de Chiador, Goianá e Passa Vinte, além de comunidades com Capelas que tem o Santo Pregador do Evangelho como titular. Em todas as paróquias e comunidades, assim como no Seminário Santo Antônio, celebrações festivas estão sendo realizadas. Em quase todas é possível também acompanhá-las em transmissão pelas redes sociais. Clique aqui e confira. Neste domingo, dia 13, os ouvintes da Rádio Catedral poderão também acompanhar a Santa Missa em honra a Santo Antônio às 10h, ao vivo, direto da Catedral Metropolitana.



*Com informações de a12.com

0 comentário