top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Médio risco de infestação é o resultado do 4º LirAa de 2023 em Juiz de Fora

Atualizado: 21 de nov. de 2023

Por Rádio Catedral


A Prefeitura divulgou que o resultado do 4º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LirAa) de 2023, realizado em outubro, apontou índice de infestação de 3,2. Este número é classificado como de "médio risco” pelo Ministério da Saúde.


O Aedes Aegypti é o mosquito transmissor da dengue, zika, febre amarela e chikungunya.

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Jonathan Ferreira Tomaz, comenta que o cenário epidemiológico em Juiz de Fora é estável diante de ações de prevenção.


A maioria dos focos foi localizada dentro das casas em banheiros/vasos sanitários em desuso, pneus, lixos, ralos, vasos/frascos com água, pratos, garrafas retornáveis, considerados depósitos móveis, seguidos de obras, calhas e estruturas abandonadas ou em desuso.


Jonathan Ferreira Tomaz destaca o apoio de todos na busca pela prevenção e eliminação dos locais que possam ser propícios ao mosquito.


A partir dos resultados, a PJF disse que seguirá reforçando a vistoria dos imóveis, desenvolvendo ações de educação em saúde e sensibilização da população, para eliminação e cuidado com os possíveis criadouros do mosquito.


A Prefeitura reforçou a necessidade de que a população também faça seu papel, recebendo os agentes e eliminando os focos.


Como denunciar locais suspeitos de possíveis focos?


Para enviar denúncias sobre locais onde possa existir criadouros ou focos do mosquito da dengue a Prefeitura orienta os seguintes caminhos:


  • o sistema MonitorAr, que pode ser acessado em smartphones, tablets, notebooks e computadores,

  • WhatsApp, pelo número (32) 98432-4608,

  • por ligação telefônica através do 3690-3070

  • ou pelo e-mail dengue@pjf.mg.gov.br.


O que é o LirAa?


O LIRAa consiste em um método simplificado para obtenção rápida de indicadores entomológicos e permite conhecer a distribuição do vetor Aedes aegypti dentro da região.


A partir do resultado do nível de infestação, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SSVS) da Secretaria de Saúde (SS) traça as estratégias de combate, como ações de mobilização social, mutirão de limpeza, vistorias e ações em conjunto de fiscalização, ações educacionais e campanhas de conscientização.

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page