top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

JIMI Paradesporto reúne mais de 270 atletas de 21 municípios em Juiz de Fora

Por Roberta Oliveira



Mais de 270 atletas com deficiência de diversas faixas etárias vindos de 21 municípios vão competir no Jogos do Interior de Minas Paradesportivo, em Juiz de Fora. O evento começa a partir desta sexta-feira, 4 de novembro, com a realização da classificação funcional e a reunião técnica das modalidades.


As provas de atletismo e natação serão realizadas nas instalações da Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).


De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), durante a pandemia foi realizado o Jimi Virtual (JIMIV). Esta nova versão da competição é a primeira exclusivamente para o paradesporto e a primeira pós-pandemia.


A coordenadora da Associação Mineira do Paradesporto e do JIMI Paradesporto, Lina Vitarelli, mais de 500 pessoas entre atletas, comissões técnicas e arbitragens estão mobilizadas pelo evento no fim de semana.



Lina Vitarelli reforça os objetivos dos Jogos do Interior Mineiro reunindo atletas com deficiência.





Enquanto os atletas buscam medalhas nas piscinas e na pista, o JIMI também terá uma etapa dentro das salas de aulas, como explica a coordenadora da Associação Mineira do Paradesporto e do JIMI Paradesporto, Lina Vitarelli.



Quem quiser acompanhar a competição, será bem-vindo. Além disso, Lina Vitarelli diz que haverá transmissão das provas de natação pela internet.




Pista de Atletismo da Faculdade de Educação Física da UFJF vai sediar provas do JIMI Paradesporto Foto: Gessica Leine/UFJF

A palavra da Sedese


A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) custeou a hospedagem, a alimentação e infraestrutura do evento.


Em informações enviadas por e-mail à Rádio Catedral, a Sedese destacou que a expectativa para o JIMI Paradesporto 2022 é “que seja um evento de grande sucesso, considerando que o número de inscritos superou o que havia sido estimado”.


A Secretaria analisou que o paradesporto ainda tem um grande campo para avançar em nosso estado. A competição busca lançar uma luz sobre o esporte para pessoas com deficiência, e a importância de incluir essas pessoas em todos os aspectos da vida, além do esportivo.


Segundo a Sedese, a proposta inclusiva deve se desenvolver ainda mais, com o apoio das Organizações da Sociedade Civil e municípios, em busca de uma sociedade mais justa.

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page