top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Diálogo com a imprensa é importante para a sociedade, destaca delegada-chefe da Polícia Civil em JF

Por Roberta Oliveira


A Polícia Civil promoveu nesta quarta-feira, 1º de fevereiro, um "Café com a Imprensa" na sede da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (RISP), no Bairro Nova Era.


Além de ser uma comemoração antecipada do Dia do Repórter, em 16 de fevereiro, também serviu como um espaço de troca para melhor compreensão do trabalho realizado pela corporação e agilizar o compartilhamento informações para a sociedade.


Jornalistas de diferentes veículos de Juiz de Fora foram recepcionados pela chefe do 4º Departamento de Polícia Civil, delegada-geral Flávia Mara Camargo Murta e o novo delegado regional em Juiz de Fora, Márcio Roberto Savino Lopes.


O evento também marcou a apresentação três delegados designados recentemente para atuar no âmbito da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil em Juiz de Fora: Darcílio de Souza Neto, Daniel Buchmuller e Flávia Granado Alvarenga.


A Rádio Catedral esteve presente e trouxe uma entrevista exclusiva com a delegada Flávia Murta a respeito desta ponte com a imprensa, a rotina do trabalho da Polícia Civil e a importância de todos os cidadãos contribuírem para a segurança pública.


Imprensa é janela para informar a sociedade

A chefe do 4º Departamento de Polícia Civil, delegada-geral Flávia Mara Camargo Murta analisou a importância do diálogo com a imprensa para que as informações corretas cheguem à sociedade.




Respeito às legislações brasileiras


Um dos questionamentos mais comuns da população é sobre os presos serem chamados de suspeitos e não serem expostos. A delegada Flávia Murta reforça que os policiais estão cumprindo o que determina a Constituição e a Lei de Abuso de Autoridade.


Reorganização do trabalho da Polícia Civil


Desde que a delegada Flávia Murta assumiu a chefia, houve mudanças no organograma da Polícia Civil, com o fim das delegacias especializadas Antidrogas, Furtos e Roubos e Homicídios. Ela reforça que as alterações foram para melhorar o serviço e atendimento à população.


Um dos novos setores é o Núcleo de Acervo Cartorário, o NAC, que investiga inquéritos que ainda estavam em aberto na delegacia. Flávia Murta explicou a necessidade de não deixar os crimes sem resposta.



Como enviar informações que ajudam à PC


No encerramento da entrevista, a chefe do 4º Departamento de Polícia Civil, delegada-geral Flávia Mara Camargo Murta destacou que todos os cidadãos são responsáveis pela segurança pública e podem contribuir para as investigações em andamento.


Outras formas de repassar informações ou denúncias é procurar diretamente as equipes nas delegacias nos 86 municípios integrantes do 4º Departamento. Além da delegacia Regional de Juiz de Fora, outras quatro regionais formam o Quatro Departamento: Ubá, Leopoldina, Muriaé e Viçosa.


Em Juiz de Fora, a Polícia Civil possui as seguintes unidades:

  • Núcleo de Atendimento ao Idoso, no Santa Cruz Shopping;

  • Núcleo de Atendimento às Ocorrências de maus-tratos a Animais, em Santa Terezinha;

  • Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, no Santa Cruz Shopping;

  • Grupo de Resposta Rápida (GRR), na Delegacia em Santa Terezinha;

  • Núcleo de Acervo Cartorário (NAC), na Delegacia em Santa Terezinha;

  • Sete Delegacias Distritais: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª, nos bairros Santa Terezinha, São Mateus, Bairro de Lourdes.

33 visualizações0 comentário
bottom of page