top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Diáconos Permanentes e suas esposas participam de encontro de formação

Atualizado: 10 de ago. de 2022

Por Roberta Oliveira

*Foto: Arquidiocese Juiz de Fora.

Diáconos permanentes e suas esposas participaram no último sábado, 6 de agosto, de um encontro de formação na Arquidiocese de Juiz de Fora. A reunião serviu para reflexões e para fortalecer o papel e a missão dos diáconos e das famílias nas comunidades católicas.


Na Arquidiocese de Juiz de Fora atuam 48 diáconos permanentes. De acordo com o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, cerca de 70% dos diáconos permanentes e as esposas puderam participar do encontro. Ele reforçou a importância deste momento para a atuação do casal nas paróquias.


Dom Gil Antônio Moreira explicou como é a formação de um candidato ao diaconato permanente.



Valorização da missão do diácono, desta presidente da CAD


Segundo o Presidente da Comissão Arquidiocesana de Diáconos (CAD), Diácono Permanente João Roberto da Silva lembrou que o Ministério do Diaconato é exercido por toda a família.


O Diácono Permanente, João Roberto da Silva, reforçou que os encontros valorizam a missão do diácono na comunidade.


"O primeiro sim é o da família", diz esposa


Susana Maria da Fonseca Silva é a esposa do diácono permanente João Roberto da Silva. Ela comentou sobre como o apoio e a atuação da família são fundamentais no ministério do diaconato.


Festa de São Lourenço e Dia do Diácono


Nesta quarta-feira, 10 de agosto, é Dia do Diácono, quando é celebrado também o seu padroeiro, São Lourenço. Dom Gil Antônio Moreira convida a comunidade participar da Missa comemorativa na Catedral Metropolitana.


Convite:



História de São Lourenço*


Festejamos a vida de santidade e martírio do Diácono que nem chicotes, algozes, chamas, tormentos e correntes puderam contra sua fé e amor ao Cristo. Lourenço, espanhol, natural de Huesca, foi um Diácono de bom humor que servia a Deus na Igreja de Roma durante meados do Século III.


Conta-nos a história que São Lourenço como primeiro dos Diáconos tinha grande amizade com o Papa Sisto II, tanto assim que ao vê-lo indo para o martírio falou: “Ó pai, aonde vais sem o teu filho? Tu que jamais ofereceste o sacrifício sem a assistência do teu Diácono, vais agora sozinho para o martírio?”. E o Papa respondeu: “Mais uns dias e te aguarda uma coroa mais bonita!”. São Lourenço era também responsável pela administração dos bens da Igreja que sustentava muitos necessitados.


Diante da perseguição do Imperador Valeriano, o prefeito local exigiu de Lourenço os tesouros da Igreja, para isso o Santo Diácono pediu um prazo, o qual foi o suficiente para reunir no átrio os órfãos, os cegos, os coxos, as viúvas, os idosos… todos os que a Igreja socorria, e no fim do prazo – com bom humor – disse: “Eis aqui os nossos tesouros, que nunca diminuem, e podem ser encontrados em toda parte”.


Sentindo-se iludido, o prefeito sujeitou o santo a diversos tormentos, até colocá-lo sobre um braseiro ardente; São Lourenço que sofreu o martírio em 258, não parava de interceder por todos, e mesmo assim encontrou no Espírito Santo força para dizer no auge do sofrimento na grelha: “Vira-me que já estou bem assado deste lado”.


A Roma cristã venera o santo espanhol com a mesma veneração e respeito com que honra seus primeiros Apóstolos. Depois de São Pedro e São Paulo, a festa de São Lourenço foi a maior da antiga liturgia romana. O que foi Santo Estevão em Jerusalém, isso mesmo o foi São Lourenço em Roma.


* Fonte: site da Canção Nova

118 visualizações0 comentário
bottom of page