top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Dados de violência psicológica se igualam aos de violência física em Minas e estado faz campanha de alerta

Por Rádio Catedral*


*Imagem: Sejusp | Divulgação.


A análise dos dados do perfil das vítimas de violência contra a mulher em Minas chama a atenção por colocar a violência psicológica em um patamar muito próximo da tão discutida violência física.

 

Até o dia 10/12, levantamento da Polícia Civil indicava que, entre as mais de 140 mil mulheres em situação de violência em todo o estado neste ano, 38,1% sofreram violência psicológica e 38,2%, violência física.

 

Os dados estão disponíveis em um painel aberto para a consulta de todos os cidadãos, na internet.

 

A proximidade das estatísticas entre os dois tipos de violência foi o pontapé para o lançamento, na última semana de uma campanha virtual de conscientização sobre violência psicológica pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

 

Com o tema “Nós vemos a violência que ninguém vê”, a ação conta com divulgação ativa nas redes sociais e busca alertar para as características desse tipo de crime, além das possíveis consequências tanto para a mulher quanto para o agressor.

 

Entre as 54.992 mulheres que sofreram violência psicológica em Minas, a maioria (82%) foi classificada como vítima de ameaça.

 

Perseguição e atrito verbal, nesta ordem, seguem como os demais principais motivos da busca pela polícia, nesta modalidade.

 

As autodeclaradas pardas são as mais atingidas (45%), e a faixa etária predominante das vítimas está concentrada entre 25 e 34 anos (28,2%).


De janeiro a 10/12, exatas 144.157 mulheres foram vítimas de algum tipo de violência em Minas.

 

Além das destacadas violência psicológica e física, a violência patrimonial representou 4,3% dos abusos neste ano, seguida da violência moral (2,8%) e violência sexual (1,8%).

 

Vale ressaltar que, em 2021, foi aprovada a inclusão da violência psicológica contra a mulher ao Código Penal e, de acordo com a nova lei, o agressor pode ficar de seis meses a dois anos preso, além de pagar multa.

 

Delegacias de Atendimento à Mulher


*Foto: Tiago Ciccarini | Sejusp.


Em Minas Gerais são 69 Delegacias de Atendimento à Mulher, tanto no interior quanto na capital, para atendimento às mulheres em situação de violência, incluindo casos de importunação ofensiva e violência doméstica e sexual.

 

Em Juiz de Fora, a Delegacia Especializada de Atendimento à mulher - Unidade especializada da Polícia Civil para atendimento às mulheres em situação de violência conta com a expedição de medidas protetivas de urgência no prazo máximo de 48 horas. O endereço é Rua Jarbas de Lery Santos, n° 1655 (2º andar do Santa Cruz Shopping). O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 9h às 12h e de 14h às 17h.


Confira mais sobre a campanha aqui.


*Fonte: Agência Minas

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page