top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Comunidade de Toledos, em Juiz de Fora, celebra Nossa Senhora do Desterro

Por Radio Catedral


Nesta semana, a comunidade de Toledos, distrito de Juiz de Fora, participa de programação especial, que é preparatória para a festa de Nossa Senhora do Desterro.


Além das celebrações religiosas, durante todos os dias haverá funcionamento de barraquinhas. A Capela Nossa Senhora do Desterro, faz parte da Paróquia Nossa Senhora das Estradas, e fica na Rua Principal, s/nº, no Bairro Toledos.


Novena, tríduo, missas solenes e festa social

Até 1º de setembro, os fieis participam da novena às 19h na Capela Nossa Senhora do Desterro, que tem como tema das reflexões “Família: Santuário do Amor e da Vida”.


Entre os dias 2 e 4 de setembro, será realizado um tríduo em homenagem a mãe dos imigrantes e exilados. Na sexta-feira, 2 de setembro, após a Santa Missa, às 19h, haverá show de prêmios e atrações musicais. No sábado, 3 de setembro, a celebração será às 18h, seguida de festa social com leilão de prendas e apresentações musicais.


No dia da padroeira, Nossa Senhora do Desterro, 4 de setembro, a programação começa com Missa Solene às 11h; às 14h, leilão de bezerros; às 16h, procissão e coroação; em seguida, leilão de assados e fogos de artifícios.


Nossa Senhora do Desterro*


Nossa Senhora do Desterro tem origem na Bíblia como nos narra São Mateus em seu Evangelho (Mt 2, 13-23), quando a Sagrada Família teve que fugir com o Menino Jesus para o Egito, por causa da perseguição do Rei Herodes. Nossa Senhora permaneceu cerca de quatro anos fugitiva, desterrada no Egito.


A devoção dos refugiados, os que não tem Pátria, os que não tem esperança no futuro. Como os milhões de brasileiros que saem do país em busca de uma vida melhor. Ou os milhões de refugiados da guerra ao redor do mundo. Nossa Senhora do Desterro é a padroeira dos que tiveram que deixar sua Pátria para procurar trabalho em outro lugar ou se refugiaram em outras terras. Na Itália, ela é a Madona degli Emigrati, a Mãe dos imigrantes.

É a Mãe à qual todos rezam para serem bem recebidos em terras estrangeiras, para conseguirem novas amizades e trabalho.


Maria nos ensina a espiritualidade do desterro, o saber acolher qualquer irmão de qualquer lugar. Como sempre dizia São Bento a seus monges: Chegou o visitante, chegou o migrante, chegou Cristo.


Os que rezam a Nossa Senhora do desterro, por sua promessa, serão protegidos contra a fome, a peste, a guerra e das doenças contagiosas. Os seus inimigos não terão poder de ofendê-los, nem roubá-los. Resistirão às tentações do demônio.


Todos os que tiverem confiança nas misericórdias da Mãe do Desterro, serão felizes em seus negócios e viagens. Não morrerão sem a confissão e ficarão livres de uma morte repentina.

Jesus Cristo foi desterrado


Como vimos, José e Maria tiveram que fugir de sua pátria com seu pequeno filho Jesus e ficaram lá por 4 anos. Jesus passou pela experiência do desterro, junto com sua família. E o próprio Jesus nos diz no Evangelho de São Mateus: Eu era forasteiro e me acolheste.



*Fonte: Site Cruz Terra Santa

9 visualizações0 comentário
bottom of page