• Radio Catedral

UFJF segue pesquisando a vacina BCG contra a forma grave da Covid-19 e precisa de novos voluntários

Por Fabíola Castro


A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), juntamente com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), está conduzindo uma pesquisa de avaliação sobre a eficácia da vacina BCG contra a forma grave da Covid-19. Assim, os pesquisadores convocam voluntários.


Para o estudo que já está em andamento, a UFJF ampliou a lista de pessoas voluntárias aptas a participar da pesquisa. Uma vez selecionados mediante entrevista com a equipe científica, os participantes serão acompanhados ao longo de seis meses.


A Pesquisadora da Universidade Federal de Juiz de Fora, Dra Sandra Tibiriça, explica sobre a pesquisa e também qual público de voluntários pode fazer parte dela nessa etapa. Confira na entrevista:


Um primeiro grupo de voluntários para essa pesquisa já foi selecionado. Como ela começou e como está sendo conduzida?


Nessa nova etapa quem pode participar, quais voluntários estão sendo buscados?


Por que testar a vacina BCG?


Ao longo dos seis meses como se dá a participação dos voluntários?


Qual a importância da adesão, da participação das pessoas nas pesquisas? E em pesquisas como essa que testa a eficácia de uma vacina já existente, já usada, para uma doença nova como a Covid-19, que já tem as suas vacinas próprias, mas onde novos meios de prevenir são sempre bem-vindos?


Como os interessados que se enquadram nesse novo grupo de voluntários podem se inscrever?


O WhatsApp para inscrição é o (32) 99826-8179 e também é possível se inscrever pelo e-mail bcgcovid.fiocruz.jf@gmail.com. As incrições podem ser realizadas até 31 de maio.


Dra. Sandra Tibiriça finaliza agradecendo a todos que se disponibilizam a participar voluntariamente do estudo.


Reforçando que para participar do estudo, os interessados devem ter entre 20 e 50 anos; devem atuar como bancários, motoristas, cobradores, trabalhadores do comércio (lojas , bares, farmácias), no setor de hotelaria ou setor de serviços gerais, além das pessoas que residem no mesmo domicílio desses profissionais.


A participação na pesquisa não impede que os voluntários recebam a vacinação contra a Covid-19, caso a mesma seja disponibilizada durante o período de vigência do projeto, como a Dra. Sandra explica na entrevista.

0 comentário