top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Transplante de medula óssea com doador 50% compatível é realizado no HU-UFJF

O HU alcançou a importante marca de 500 transplantes realizados na Instituição.



Por Fabíola Castro


O Serviço de Transplante de Medula Óssea completa 20 anos em 2024. A expectativa é aumentar o número de transplantes, possibilitando esse tipo de tratamento de maneira mais rápida e eficaz. | Foto: gov.br/ebserh.


O Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF, sob gestão da Ebserh) alcançou uma marca histórica: a realização de 500 transplantes de medula óssea. A jovem Thaís Araújo da Silva, da cidade de Muriaé, de 22 anos de idade, estudante de Nutrição, é a paciente de número 500. Ela foi diagnosticada com leucemia mieloide aguda recidivada e não conseguiu doador 100% compatível na família ou no banco de medula. Dessa forma, a doadora foi a irmã de Thaís, que era 50% compatível, e assim, foi feito o transplante com um método diferente.


Quem explicou sobre esse procedimento e comemora essa importante marca foi o médico hematologista, Dr. Abrahão Hallack Neto, responsável pelo Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do HU-UFJF, em entrevista para o quadro "Bendita Saúde"desta terça-feira (19).


Confira:


O Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora acaba de alcançar uma marca histórica: a realização de 500 transplantes de medula óssea. O que isso representa para o hospital, para região e para os pacientes?



Como são feitos esses transplantes? Com qual freqüência? O que é necessário para que o transplante seja realizado?



O senhor falou sobre como ocorreu o transplante dessa paciente de número 500 no HU, foi esse um procedimento mais complexo pela doadora ser 50% compatível?



Como são os cuidados daqui para frente com a paciente?



O transplante de medula óssea é geralmente para os casos de leucemia. É apenas nessa condição que ele é uma opção, um tratamento?



Quais as expectativas do hospital, do setor de transplantes após alcançar essas marca de 500 procedimentos?



Possíveis melhorias no HU-UFJF


O Hospital Universitário em Juiz de Fora está entre as obras contempladas pelo PAC do Governo Federal para que possa ser finalmente concluído. Sendo de fato concretizado, como isso impacta também no setor de hematologia, de transplantes?



No Bendita Saúde desta terça-feira (19), conversamos com o médico hematologista Dr. Abrahão Hallack Neto, responsável pelo Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do HU-UFJF, explicando sobre esse procedimento tão importante aos pacientes e também pela relevante marca de 500 transplantes realizados e expectativa de cada vez mais melhorar e atender mais e mais pessoas que precisam. Agradecemos ao Dr. Abrahão pela entrevista e participação no nosso quadro.



Com certeza, em um momento de necessidade, o paciente deposita, além da sua fé, a confiança nos médicos, profissionais e locais da saúde, para buscar a cura para a sua enfermidade.


Paciente transplantada


Thaís Araújo da Silva, da cidade de Muriaé, 22 anos, é a paciente de número 500 | Foto: Arquivo pessoal, cedida pela assessoria do HU-UFJF.

Sobre a história da paciente transplantada de medula óssea, ela contou à assessoria do HU um pouco de como tudo teve início em janeiro de 2023, quando ela começou a sentir fortes dores abdominais e foi diagnosticada com uma infecção renal. Ao ser internada, descobriu uma anemia por meio de exames de sangue.


“Tentamos tratar a anemia, sem sucesso, daí fiz uma biópsia de medula e, em março, veio o diagnóstico de leucemia mieloide aguda com indicação de transplante. A minha cidade não faz o transplante alógeno haploidêntico, por isso transferiram para o HU. Meu procedimento foi dia 18 de outubro, e a pega da medula, dia 4 de novembro. Deu tudo certo e estou muito bem”, relata.

Ela segue em acompanhamento periódico no Hospital, assim como Dr. Abrahão explicou.


20 anos de serviços


O Serviço de Transplante de Medula Óssea do HU completa 20 anos em 2024. A expectativa, de acordo com a Instituição, é aumentar o número de transplantes, possibilitando esse tipo de tratamento de maneira mais rápida e eficaz, não apenas a pacientes de Juiz de Fora e região, mas também para outros estados, como também apontou o médico Dr. Abrahão Hallack Neto.


“O serviço de TMO do HU-UFJF faz todos os tipos de transplantes de medula óssea, desde os mais simples aos mais complexos, sendo um campo importante não apenas para o tratamento dos pacientes, mas também para o treinamento de profissionais da área de saúde e para a pesquisa”, reforçou ainda o médico hematologista.

11 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page