top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

'Tá Vacinado?' Campanha da Sociedade Brasileira de Infectologia busca conscientizar a população sobre a importância da imunização

Por Fabíola Castro*





Na última década, as metas de cobertura vacinal não têm sido alcançadas no Brasil e sofreram uma queda altamente expressiva de quase todas as vacinas. A consequência disso é enorme para a saúde pública, já que grande parte da população fica desprotegida de uma série de doenças. Isso, sem dúvida, é uma questão altamente preocupante para a saúde pública e faz com que a vacinação esteja no foco de atenção.


Para conscientizar a população sobre a importância da imunização, a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) lançou a campanha que pergunta ‘Tá Vacinado?’, para ressaltar a necessidade da vacinação para todas as pessoas.


Em todas as idades, as vacinas protegem contra várias doenças e ajudam a salvar vidas. Mas nos últimos anos, os índices de cobertura vacinal vêm caindo. Há cinco anos, as coberturas vacinais na infância estão em queda no Brasil.


Com o avanço da medicina e da ciência, as vacinas se tornaram uma ferramenta crucial na prevenção de diversas doenças, reduzindo significativamente o risco de complicações graves e até mesmo de morte.


Na era em que a velocidade de informação é cada vez maior em todas as áreas, o tema fake news tornou-se um dos principais desafios dentro da comunicação e a saúde e vacinação são áreas que foram afetadas por esse fenômeno negativo. Por isso, a importância também de combater esse tipo de atitude e recorrer e divulgar apenas informações confiáveis.


O Infectologista, Dr. Marcos Moura, em entrevista para o Bendita Saúde desta quinta-feira (25), reforçou a importância e segurança da vacinação na prevenção de doenças.


Confira:


Ao longo da história, as vacinas contribuíram para mudar o cenário no combate à poliomielite, a rubéola, o sarampo e de tantas outras doenças. Desde então, a Ciência comprova que a vacinação é o principal caminho para se proteger de algumas várias doenças infecciosas e suas complicações?

 


 

Se cada vez menos pessoas se vacinarem contra as doenças, aquelas já erradicadas podem começar a voltar?



 

Por isso, a vacinação tem que ser uma rotina de cuidados com a saúde em todas as idades?



 

A questão da propagação de fake news também refletiu na queda dos índices de imunização no Brasil e é um desafio combatê-las?



Em todas as idades, vacinas são seguras e necessárias? Desde o nascimento elas são importantes para a imunidade e preservação da saúde ao longo da vida?


 

Há vacinas importantes também para os adultos, campanhas de vacinação voltadas para a terceira idade, como a da gripe, por exemplo, e quando a população vai envelhecendo pode perder a capacidade de se proteger contra os vírus, por isso, importante a imunização?

 


 

Um novo estudo liderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que será publicado na revista científica The Lancet, revela que os esforços globais de vacinação nas últimas cinco décadas salvaram ao menos 154 milhões de pessoas, o equivalente a 6 vidas por minuto. Além disso, destaca que a maioria delas, 101 milhões, foram crianças. O que reforça e comprova a importância da imunização?

 


 

Prevenção é sempre importante e o sistema de vacinação brasileiro é reconhecido e seguro, com vacinas seguras e gratuitas, reforçando sempre que quanto mais pessoas vacinadas, mais proteção para o coletivo. Dr. Marcos, que é infectologista, mais uma vez, muito obrigada pela entrevista e sua disponibilidade de sempre.

 



Como destacado no início da entrevista, nos últimos anos, os índices de cobertura vacinal vêm caindo. Há cinco anos, as coberturas vacinais na infância estão em queda no Brasil, isso é muito sério e precisa ser revertido e só depende de cada um de nós que temos as vacinas disponíveis. Pais, mães, responsáveis por crianças, adolescentes e idosos, até mesmo os adultos, cada um fazendo a sua parte, protegendo a todos!

 

Temos atualmente uma campanha em andamento que é a da gripe e dados do Ministério da Saúde mostram que apenas 22% do público-alvo se vacinou. Até o momento, 14,4 milhões de doses foram aplicadas para uma população-alvo de 75,8 milhões de pessoas.

 

Por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), os idosos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, professores da rede pública de ensino, entre outros públicos prioritários podem ser imunizados.

 

Em 2024, a vacinação contra a Influenza já acontece, foi adiantada, buscando atender às particularidades climáticas com a chegada do outono e inverno quando há maior circulação viral e de transmissão da gripe.

 

Neste ano, a composição da vacina é destinada a proteger contra a Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B.

 

Se você pode, vacine-se! Proteja-se! Pegue o seu cartão leve até uma Unidade de Saúde para saber se está tudo em dia!



*Com informações do site infectologia.org.br.

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page