top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Morre mais uma vítima que estava internada após atropelamento em Torneio Leiteiro de JF

Mulher de 58 anos foi a terceira vítima fatal do atentado ocorrido em 9 de setembro na festa que era realizada no estacionamento do Estádio Municipal no Bairro Aeroporto.


Por Rádio Catedral

*Foto: PJF.

Morreu na madrugada desta terça-feira (3), a terceira vítima do atropelamento ocorrido no dia 9 de setembro no Torneio Leiteiro das Campeãs em Juiz de Fora, depois que um homem invadiu o local da festa com o carro em alta velocidade atingindo dezenas de pessoas. Elear Maria Faião, de 58 anos, estava internada desde então. No dia do fato, uma mulher de 56 anos morreu na hora e uma criança de três anos que estava em seu colo veio a óbito no hospital dias depois.


Por meio de nota, a Prefeitura de Juiz de Fora manifestou o seu pesar pelo falecimento de mais uma vítima em razão do atentado ocorrido durante o Torneio Leiteiro das Campeãs. De acordo com a nota, a Prefeitura vem acompanhando os familiares da vítima, oferecendo apoio material e psicológico, desde o dia da tragédia.


Ainda conforme a PJF, o rapaz de 24 anos, autor do atropelamento segue internado no Hospital de Pronto Socorro (HPS) em estado grave. E conforme divulgado pela imprensa juiz-forana, outros dois homens feridos já tiveram alta do Hospital Maternidade Therezinha de Jesus e do Hospital Universitário, onde estavam internados.


Investigações Polícia Civil


Segundo o delegado da Polícia Civil, que está respondendo interinamente pela Delegacia Especializada de Homicídios, Daniel Buchmüller, as investigações estão em andamento e algumas oitivas ainda serão realizadas com as vítimas que ainda estavam hospitalizadas.


A Polícia Civil já havia informado em outra ocasião, que diversos vídeos do dia do atentado estavam sendo recebidos e analisados, os quais auxiliam na investigação que até o momento comprova que o suspeito utilizou o veículo como instrumento do crime. Apurou-se até agora, segundo a PC, que o autor teria se envolvido em uma briga e por esse motivo pegou o veículo de seu pai e retornou com o mesmo em alta velocidade, com a intenção de atropelar diversas vítimas que estavam saindo do evento.


Uma tese apontada pela defesa do suspeito dizia que havia uma corrente no pedal do acelerador o que teria ocasionado uma falha mecânica e, portanto, o fato teria sido um acidente. No entanto, a perícia constatou que a corrente estava no pedal do freio. A perícia no local foi refeita por determinação da Autoridade Policial e não foi constatado nenhum sinal de frenagem, indicando que o autor em momento nenhum acionou os freios, pelo contrário, acelerou intencionalmente em direção às pessoas que estavam no evento.


De acordo com o delegado responsável, Samuel Neri, as provas demonstram que o suspeito teve a clara intenção de atingir as pessoas e utilizou do veículo como instrumento para cometer o crime. O caso está sendo tratado como Homicídio Qualificado Doloso.


O delegado destacou que não faz parte, pelo menos nesse momento, dos objetivos da PCMG apurar envolvimento de organizadores ou responsáveis pelo evento tendo em vista que o fato decorreu de uma ação imprevisível e unilateral do autor que segue internado e sem condições de ser interrogado, mas, isso não impede, conforme a Policia Civil, o avanço das investigações.


Saiba mais:


8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page