top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

E-ansiedade: você sabe o que é?

A ansiedade é parte da vida cotidiana de muitas pessoas, tanto fora quanto dentro do mundo virtual. “E-ansiedade” pode parecer um termo estranho – e não há uma definição científica para ele -, mas está ligado às muitas demandas que temos vindas da internet. Você sabia ainda que acelerar o áudio do app de mensagens pode causar ansiedade?


Por Fabíola Castro

Imagem: Pixabay.

Celular sempre à mão, computador aberto para checar e-mails que vão chegando demandando respostas. Fila de mensagens no WhatsApp para responder. Aliás, esse aplicativo de mensagens é quase que inseparável das pessoas atualmente. Para todos, seja em casa, na família, nos grupos de amigos, no trabalho, enfim...


Uma das últimas atualizações no app permitiu acelerar os áudios recebidos. Parece bom? Uma forma de acelerar ainda mais o tempo que já é corrido! Mas, por que isso? Por que acelerar algo que era pra ser uma conversa ainda que virtual? Isso pode fazer mal? De acordo com especialistas, acelerar áudios de WhatsApp é apenas mais um sintoma da ansiedade com a qual estamos lidando na vida, principalmente, com o trabalho.


A necessidade por respostas rápidas e imediatas pode ser o lado ruim da tecnologia que, não só ajuda, mas também pode causar vários danos à saúde, tanto física quanto mental.

“E-ansiedade” pode parecer um termo estranho – e não há uma definição científica para ele -, mas está ligado às muitas demandas que temos vindas da internet. A ansiedade é parte da vida cotidiana de muitas pessoas, tanto fora quanto dentro do mundo virtual.


O que é preciso é o reconhecimento, por parte de cada indivíduo, dos próprios limites humanos e a aceitação de que não é possível se desdobrar para exercer alguma tarefa, ou dar respostas sempre imediatas.


O professor do curso de Psicologia da Estácio, Carlos Eduardo Pereira, em entrevista para o quadro "Bendita Saúde", desta quinta-feira, 2, explicou sobre esse tema.


Confira:

Buscar sempre ou querer dar respostas imediatas, isso pode estar relacionado com a ansiedade?


Qual o problema, por exemplo, de usar o áudio acelerado no aplicativo de mensagens WhatsApp?


Quais são os efeitos mais comuns de uma crise de ansiedade?


Como evitar no dia a dia atitudes que causem ansiedade?


As cobranças por perfeição, por felicidade o tempo todo, por não errar, sempre dar conta de tudo, responder a tudo também traz consigo a ansiedade e são atitudes que as pessoas precisam se resguardar no dia a dia?


De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo e o quinto em casos de depressão. Segundo estimativas da entidade, 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população. Situações essas que foram agravadas durante a pandemia.

Nessa entrevista, falamos da funcionalidade de acelerar o áudio do App de mensagens, mas são inúmeras situações no cotidiano que podem desencadear crises de ansiedade.


No caso de acelerar um áudio que você recebe pode dar sensação de estar “ganhando tempo”. Mas, será que sim? Isso pode trazer mais um componente de sobrecarga mental, e junto, a sensação de frustração por não dar conta de tudo.


E como o professor e psicólogo destacou na entrevista, os sintomas mais comuns de ansiedade podem ser coração acelerado diante de alguma situação, nervosismo, mãos suando. Quase todo mundo já passou por situações assim em algum momento da vida, com mais ou menos intensidade. O que não pode é você estar com dificuldades recorrentes para dormir, ficar sem ar, não conseguir se concentrar no trabalho, nos estudos, por somente pensar no pior. Isso precisa de avaliação e ajuda médica, se for o caso.


A ansiedade se não for tratada da forma correta pode desencadear outros transtornos mentais, como a depressão, que acomete aproximadamente 300 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Muito sério e temos que ficar atentos!


Confira também:

14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page