• Radio Catedral

Dom Gil celebra o Domingo de Páscoa

por Giovane Rezende

Foto: Danielle Quinelato/ Assessoria de Comunicação da Arquidiocese

O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, celebrou neste domingo a Páscoa do nosso Senhor Jesus Cristo.

O pastor presidiu as celebrações das 10h na Catedral de Santo Antônio e das 17h na Paróquia Nossa Senhora da Glória. Segundo Dom Gil, a ressurreição de Cristo é a também a nossa vitória. A certeza de que, se caminharmos no caminho do Senhor, ressuscitaremos também.

Dom Gil Antônio Moreira comenta sobre a tradição de celebrar a Missa da Páscoa na Igreja da Glória.

Estamos vivendo agora o Tempo Pascal. Conforme o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, são 50 dias de celebrações e vivência espiritual. Ele conclama a todos que participem em suas paróquias durante esse período.

Conforme Dom Gil Antônio Moreira, vivemos neste tempo de pandemia uma espécie de Quaresma. Mas, assim como Jesus ressuscitou e venceu a morte, também venceremos está situação difícil.

Confira as fotos:




Igreja celebra Oitava de Páscoa

Com a celebração da Ressurreição do Senhor, na Vigília do Sábado Santo, começa o Tempo Pascal, formado por sete semanas até a Solenidade de Pentecostes.

Durante este período, em todas as celebrações litúrgicas, o Círio Pascal permanece aceso, pois representa o Cristo Ressuscitado que dissipa as trevas da morte e faz resplandecer a luz de Deus.

A Oitava de Páscoa é a primeira semana destes cinquenta dias; é considerada como se fosse um só dia, ou seja, o prolongamento do júbilo do Domingo de Páscoa. As leituras evangélicas estão centralizadas nos relatos das aparições de Cristo Ressuscitado e nas experiências que os apóstolos tiveram com Ele. Neste tempo litúrgico, a primeira leitura, normalmente tirada do Antigo Testamento, é trocada por uma leitura dos Atos dos Apóstolos.

Ao final da Oitava Pascal, no segundo Domingo de Páscoa, é celebrada a Festa da Divina Misericórdia, instituída no calendário litúrgico da Igreja pelo Papa João Paulo II, em 30 de abril de 2000, na Missa de canonização de Santa Faustina Kowalska, apóstola da Divina Misericórdia.


*Com informações de ACI Digital e A12.com

0 comentário