top of page
  • Foto do escritorRadio Catedral

Caminhada Mariana do Distrito de Rosário de Minas pode ser declarada patrimônio imaterial de JF

Por Fabíola Castro*


Foi apresentado na Câmara Municipal de Juiz de Fora um projeto de lei (PL), de autoria do vereador Marlon Siqueira, que declara como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial “O Caminho do Rosário”. A celebração religiosa é realizada anualmente no Distrito de Rosário de Minas e o PL busca reconhecê-la como típica da cultura, da religiosidade e das práticas da vida social do município. Em 2023, o vereador Marlon Siqueira participou do evento e, impressionado com a fé dos peregrinos, sua devoção e a grande participação popular, teve a iniciativa de anunciar a elaboração do PL.


Intitulada “Caminhada Mariana”, ela teve início em 2015, a nível paroquial, envolvendo somente a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, de Rosário de Minas. Geralmente realizada nas proximidades da Festa de Nossa Senhora do Rosário, celebrada em 7 de outubro, o trajeto entre os distritos de Valadares e Rosário de Minas tem cerca de sete quilômetros. Durante o caminho, os fiéis rezam o Rosário Mariano.


Segundo o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, ao ser procurado pelo vereador concedeu todo o seu apoio ao projeto.


Dom Gil agradeceu ao vereador Marlon Siqueira pela iniciativa.


A Caminhada Mariana surgiu da iniciativa do então Administrador de Rosário de Minas, Frei Carlos Roberto de Oliveira Charles, pertencente à Ordem dos Frades Menores Conventuais, que assumiu a Paróquia Nossa Senhora do Rosário no dia 2 de agosto de 2015, a pedido do Arcebispo de Juiz de Fora. Os Frades já estão na Arquidiocese desde 2003, conduzindo também a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Bairro Monte Castelo.


Frei Carlos explica que a Caminhada Mariana se tornou um caminhar junto de uma Igreja viva e missionária e ao se tornar reconhecida por outras instâncias da sociedade demonstra também o seu anúncio do Evangelho pelas ruas e sobre os telhados.


A partir de 2017, a caminhada passou a envolver as 11 paróquias da Forania Nossa Senhora da Conceição, que reúne as comunidades da Zona Norte de Juiz de Fora, assim um volume muito maior de pessoas vem participando nesse tempo, o que segundo Frei Carlos Charles demanda uma estrutura mais organizada e segura.


Diante da necessidade de uma maior estrutura para atender aos fiéis participantes da Caminhada Mariana, Frei Carlos Charles diz que o seu reconhecimento como bem imaterial do município pode contribuir muito.


Frei Carlos Charles destaca dois aspectos que demonstram a importância da Caminhada Mariana.


Já são nove edições que, conforme Frei Carlos, a cada ano soma mais pessoas.


Frei Carlos Charles afirma ainda que a Caminhada Mariana além de celebrar Nossa Senhora do Rosário, tem o intuito de consagrar aquele caminho à Padroeira do Distrito de Rosário de Minas.


O “Caminho do Rosário” poderá se tornar bem imaterial da cidade de Juiz de Fora, já em 2024, na 10ª edição do evento religioso e no ano do Centenário da Diocese.


*Com informações da Arquidiocese JF

24 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page